União Europeia

UE deve ter representação única no FMI e no Banco Mundial


 

Lusa / AO online   Economia   18 de Jun de 2010, 15:23

A União Europeia deve aproveitar a reorganização do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial para assumir uma representação comum nessas instituições, objectivo mais realista que ter uma voz única na ONU, defendeu esta sexta-feira António Vitorino.
Para o ex-comissário europeu e ex-ministro da Defesa português, a UE deve “afastar completamente as ilusões de que há qualquer hipótese de ter uma representação única no Conselho de Segurança da ONU num prazo realista” e focar a sua atenção nessa outra questão de representação externa, mais importante e de curto prazo.

“A redefinição do peso relativo dos países no FMI e no Banco Mundial como consequência da necessidade de responder a uma nova arquitectura mundial constitui uma interessante janela de oportunidade para testar a vontade política e assumir uma representação comum, pelo menos da zona euro”, disse.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.