Twitter diz que russos replicaram posts de Trump quase meio milhão de vezes

Twitter diz que russos replicaram posts de Trump quase meio milhão de vezes

 

Lusa/AO online   Internacional   27 de Jan de 2018, 18:41

Os programas informáticos de retransmissão automática de mensagens da rede Twitter ligados à Rússia replicaram quase meio milhão de 'posts' de Donald Trump, nos últimos meses de 2016, disse a empresa ao Congresso norte-americano.


Estas contas automáticas de retransmissão de mensagens ('bots') replicaram os 'posts' do então candidato republicano quase 470 mil vezes, representando um pouco mais de 4% das replicações de mensagens ('retweets') que o candidato recebeu entre 01 de setembro e 15 de novembro de 2016.

Por comparação, a conta da candidata democrata, Hillary Clinton, no Twitter, recebeu menos de 50 mil 'retweets' oriundos das contas destes programas informáticos ligados à Rússia, no mesmo período.

As conclusões constam de um conjunto de documentos enviados pela empresa tecnológica à comissão judiciária do Senado norte-americano, e mostram como estas contas ligadas à Rússia tentaram agitar a discórdia durante as eleições presidenciais de 2016, segundo a agência de informação financeira Bloomberg.

A documentação foi pedida pelo Congresso, que está a investigar a forma como as plataformas de redes sociais, como o Facebook, Youtube, Alphabet ou Twitter poderão ter sido manipuladas durante as eleições que deram a vitória ao candidato republicano.

Na investigação pedida pelas autoridades à empresa tecnológica Twitter, foi também avançado que contas ligadas à Rússia foram responsáveis por 48% a 73% dos 'retweets' da conta do Wikileaks no Twitter, num período em que o Wikileaks publicou emails pirateados do servidor do Partido Democrata.

As alegadas tentativas de interferência da Rússia nas eleições presidenciais norte-americanas têm sido alvo de diversas investigações de várias entidades, incluindo o FBI.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.