Turistas confrontados com falhas no abastecimento de água na Caldeira Velha

Turistas confrontados com falhas no abastecimento de água na Caldeira Velha

 

Lusa/AO Online   Regional   19 de Ago de 2019, 13:51

Os turistas nos Açores que se deslocam para banhos no monumento natural da Caldeira Velha estão a ser confrontados com falhas no abastecimento de água nos balneários e sanitários, denunciou esta segunda-feira o PSD/Açores.

A deputada social-democrata Catarina Furtado refere num requerimento enviado à mesa do parlamento dos Açores que "têm vindo a público, há já algum tempo, reclamações e manifestações de insatisfação dos visitantes relacionadas com o abastecimento de água para utilização nos balneários e nas instalações sanitárias".

A parlamentar considera que "a capacidade dos reservatórios se revela insuficiente face às reais necessidades do local", exemplificando que "são vários os casos, sobretudo a partir das 15 horas, em que os visitantes, apesar de pagarem o bilhete de visitação completa de oito euros, que inclui visita e banhos, se veem impossibilitados de tomar banho nos balneários ou de utilizar as instalações sanitárias por falta de água para o efeito".

Segundo Catarina Furtado, os Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande “têm diligenciados vários serviços de abastecimento de água para colmatar as necessidades, pese embora não sejam, ainda assim, suficientes, já que as denúncias associadas à falta de água persistem e sucedem-se".

Para a social-democrata, esta situação tem gerado a “degradação da qualidade da visitação, em virtude do aumento do número de visitantes” e a necessidade de “medidas estruturais e alterações no modelo de gestão e visitação, bem como no controlo da qualidade dos recursos naturais daquela área protegida".

Estes elementos, de acordo com a deputada, foram invocados pela Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo para a denúncia do protocolo de gestão do Centro de Interpretação Ambiental da Caldeira Velha com o município da Ribeira Grande, sendo que “persistem e não estão, de todo, dirimidos".

A deputada recorda que, em fevereiro de 2018, o Monumento Natural da Caldeira Velha reabriu ao público “com um novo modelo de gestão implementado pela Sociedade de Gestão Ambiental e Conservação da Natureza – AZORINA”, depois de concluídas várias obras de beneficiação.

No requerimento enviado à Assembleia Legislativa Regional dos Açores, Catarina Furtado solicitou "uma indicação da capacidade dos reservatórios de água da Caldeira Velha", querendo saber se a mesma foi alterada "com as obras de beneficiação que ocorreram em 2018".

A parlamentar questionou ainda sobre "os consumos de água mensais da Caldeira Velha, em 2018 e 2019, e a estimativa das reais necessidades de água daquele espaço", e solicitou a indicação do número de dias, em 2019, em que ocorreram falhas no abastecimento de água, assim como a descriminação de todos os serviços de abastecimento de água efetuados pelos Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande à Caldeira Velha, com indicação de datas, volume de água transportado e custos associados.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.