Turismo: 2009 vai ser pior para o sector em Portugal


 

Lusa/AO Online   Economia   2 de Dez de 2008, 16:50

A maioria dos inquiridos do Barómetro Academia Aberta do Turismo considera que 2009 vai ser pior do que 2008 para o sector turístico português, revelou hoje o Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT).
 "Maioria dos inquiridos acredita que o próximo ano será globalmente pior que 2008", refere o IPDT, em comunicado, acrescentando que o painel aprova uma eventual candidatura conjunta de Portugal e Espanha à organização do Campeonato Mundial de Futebol.

    Apostar em novos mercados e em eventos que possam potenciar a imagem de Portugal no estrangeiro são "alguns dos trunfos que poderão fazer face à crise", na opinião do painel, constituído por mais de 100 administradores de empresas, gestores públicos e académicos do sector.

    "O pessimismo do painel de inquiridos relativamente ao próximo ano estende-se a todos os itens relacionados com receitas provenientes do turismo. A maioria considera que 2009 será pior ao nível do número de dormidas na hotelaria (80,6 por cento), do número de turistas (72,1 por cento), do gasto médio por turista (66,2 por cento) e, obviamente, das receitas globais (81,4 por cento)", realça o IPDT.

    O instituto, fundado em 2003 por personalidades ligadas ao sector, salienta que "praticamente 80 por cento dos inquiridos (79,5) defende que, globalmente, 2009 será 'pior' ou 'muito pior' que 2008, ao nível do turismo nacional".

    Para os participantes no último painel, realizado entre 27 de Outubro e 04 de Novembro, Lisboa é a região com maior potencial turístico de crescimento, (com 48,7 por cento das respostas), seguida do Porto (25 por cento) e do Alentejo (15,8 por cento).

    Na cauda da tabela estão a região Centro (1,3 por cento) e o Algarve (9,2 por cento).

    O painel considera que "as unidades hoteleiras de pequena e média dimensão serão aquelas que mais sofrerão com a crise económica mundial".

    Leste europeu, Rússia, China, Brasil, Escandinávia, Índia, Japão e Médio Oriente são, para os inquiridos, os novos mercados em que turismo português deve apostar.

    O Barómetro Academia Aberta do Turismo é um fórum mensal da responsabilidade do IPDT, que tem como missão o ensino pós-graduado e a investigação aplicada, ligados ao sector.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.