TSD/Açores dizem que Gaudêncio se demitiu "mais tarde do que era desejável"

TSD/Açores dizem que Gaudêncio se demitiu "mais tarde do que era desejável"

 

Lusa/AO online   Regional   16 de Out de 2019, 17:41

Os Trabalhadores Social-Democratas (TSD) dos Açores consideraram que a demissão do líder regional do PSD, Alexandre Gaudêncio, surgiu “mais tarde do que era desejável”, mas que encerra um “ciclo na vida do partido”.

“Alexandre Gaudêncio reconheceu não ter condições para continuar a presidir ao PSD/Açores. Fá-lo mais tarde do que era desejável, mas nem por isso deixa de ser um ato de inteligência política e de desprendimento pessoal que o enobrece e contribui para a credibilização da social-democracia nos Açores”, avançaram os TSD em comunicado de imprensa.

O líder do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio, demitiu-se esta terça-feira do cargo que assumiu há um ano e anunciou que iria pedir eleições internas diretas, sem adiantar se se iria recandidatar.

A decisão surge depois de ter sido alvo de uma investigação da Polícia Judiciária por suspeita de violação de regras de contratação pública, de urbanismo e ordenamento do território no município da Ribeira Grande, que dirige, o que lhe valeu também algumas críticas internas.

Em reação à demissão, os TSD/Açores, liderados por Joaquim Machado, lembraram que “em devido tempo e nas instâncias próprias” se pronunciaram “contra a continuidade de Alexandre Gaudêncio na presidência do partido”.

“Com toda a transparência e frontalidade dissemo-lo sem qualquer juízo de valor pessoal ou interpretação do que à justiça compete. Apesar da discordância, nunca deixámos de cumprir com os nossos deveres de militância e lealdade para com o presidente do PSD/Açores e deste recebemos respeito pela posição livremente assumida”, afirmaram.

Agora dizem que se fecha um ciclo na vida do PSD/Açores e que outro se deve abrir “obrigatoriamente marcado pela credibilidade pessoal e política dos seus dirigentes, pela clarividência e validade das suas propostas e por uma oposição firme e construtiva à governação socialista”.

“Neste virar de página, o partido tem de escolher os mais capazes para essa missão e não os mais amigos da liderança. Num novo ciclo, o partido deve estar centrado em combater a desastrosa governação socialista e com isso mostrar aos açorianos que tem gente devidamente qualificada e propostas políticas com validade e exequibilidade”, sublinham.

Ainda assim, os Trabalhadores Social-Democratas açorianos fazem votos de “muitos sucessos políticos na condução dos destinos autárquicos da Ribeira Grande” a Alexandre Gaudêncio, elogiando o “excelente trabalho” que tem desenvolvido.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.