Turismo

Taxas de "crescimento" no turismo "não podem constituir motivo para baixar braços"

Taxas de "crescimento" no turismo "não podem constituir motivo para baixar braços"

 

Lusa / AO online   Regional   12 de Ago de 2010, 17:43

O secretário regional da Economia dos Açores considerou esta quarta-feira que "as taxas de crescimento positivas" do turismo "não significam que o processo de promoção do destino Açores esteja concluído" e apelou à conjugação esforços entre sector público e empresários.
“As taxas de crescimento que temos, positivas dentro do panorama nacional, acabam por significar algo para os Açores. Mas estes dados e números devem servir para a percepção que estamos no meio de um processo. Não estamos numa fase em que podemos afirmar que o trabalho está feito”, disse Vasco Cordeiro.

O responsável pela pasta da economia nos Açores falava à margem da apresentação do novo sítio na internet do Turismo dos Açores, uma página interactiva, com vídeos, imagens e informações sobre as novas ilhas açorianas, num projecto da Associação de Turismo dos Açores (ATA).

Na apresentação do novo sítio, o secretário regional salientou que "as taxas de crescimento não podem constituir motivo para baixar os braços", sublinhando que "o sucesso do turismo nos Açores é um processo onde continua a ser necessário muito trabalho".

Vasco Cordeiro salientou a aposta que deve continuar na divulgação e notoriedade do destino Açores, envolvendo sector público e empresários, mas "não apenas dentro dos modelos tradicionais" de promoção, dando como exemplo o caso do mercado nacional que "está a crescer à volta dos cinco a seis por cento".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.