Supremo Tribunal fixa à PT indemnização de 330 mil euros

Supremo Tribunal fixa  à PT indemnização de 330 mil euros

 

Lusa/AO Online   Nacional   10 de Dez de 2009, 17:41

O Supremo Tribunal de Justiça fixou hoje em perto de 330 mil euros a indemnização a pagar pela Portugal Telecom e respectiva companhia de seguros à família de uma mulher de Palmela que morreu electrocutada quando falava ao telefone.

Segundo o acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, a que a agência Lusa teve acesso, o acidente ocorreu a 1 de Agosto de 2001, quando a mulher, agricultora de profissão e então com 29 anos, atendeu uma chamada no telefone fixo de casa e foi atingida por uma descarga eléctrica de 15 mil voltes.

A descarga eléctrica foi provocada pelo facto de o cabo do telefone ligado à casa das vítimas ter partido e se ter enrolado a um cabo de alta tensão da EDP existente no local.

Ao atender a chamada, mulher foi projectada para o chão, tendo ficado marcados na sua face os contornos do auscultador do telefone.

A blusa que tinha vestida ficou queimada e a mulher acabou por morrer 30 minutos depois, "fulminada por electrocussão".

Segundo o acórdão do Supremo Tribunal de Justiça, na manhã do dia do acidente, um técnico da PT passara no local, para uma acção de fiscalização de rotina ao estado dos equipamentos, mas "não detectou nenhuma anomalia".

O Supremo Tribunal de Justiça sustenta que a PT, "enquanto concessionária do serviço público de telecomunicações, tem a incumbência de manter em bom estado de segurança e conservação as infra-estruturas da rede básica de comunicações, desde logo para evitar qualquer perigo de acidente, sob pena de responder pelas consequências danosas que daí possam advir".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.