Liga Zon Sagres

Sporting vence na Figueira da Foz e exorciza fantasmas

Sporting vence na Figueira da Foz e exorciza fantasmas

 

Lusa/AOnline   Futebol   30 de Ago de 2010, 21:52

O Sporting conseguiu uma vitória inequívoca no reduto da Naval 1.º de Maio (3-1), no fecho da terceira jornada da Liga de futebol, mantendo-se na rota dos bons resultados.

Um golo irregular nos instantes finais da etapa inicial catapultou o Sporting para uma segunda parte bem mais conseguida e na qual Matias Fernandes encheu o campo, com excelente exibição, sendo o fator da diferença.

Liedson (41 minutos) abriu as hostilidades e, após o intervalo, Matias Fernandes, de grande penalidade (60), e Yannick (70) completaram o resultado, que justifica plenamente a superioridade dos homens de Alvalade.

Face a esta vitória, o Sporting ascende ao terceiro lugar da classificação, com seis pontos, enquanto a Naval desce ao 12.º, mantendo três pontos.

Victor Zvunka levou em consideração a máxima de que em equipa que ganha não se mexe, pelo que manteve o esquema tático de 4x2x3x1 e o mesmo “onze” que venceu em Portimão, excetuando Carlitos (castigado), substituído por Gómis.

Por sua vez, Paulo Sérgio comparativamente ao “onze” que venceu o Brondby a meio da semana, fez alinhar inicialmente Valdez e Matias Fernandes nos lugares que então foram ocupados por Vukcevic e Hélder Postiga.

Taticamente, o Sporting dispôs-se no habitual “losango” com André Santos no vértice defensivo, Maniche e Valdês mais recuados em relação a Matias Fernandes, no vértice ofensivo, e Yannick e Liedson mais adiantados.

Não houve tempo para que as equipas se estudassem, o Sporting não o permitiu, entrou de imediato a pressionar o meio-campo adversário e a colocar várias unidades na proximidade da área figueirense.

Valdês e Yannick, aos 15 minutos, “fabricaram” a primeira ocasião de golo, todavia, o “ferro” da baliza figueirense negou-lhes a intenção.

Após período menos interessante, o aproximar do intervalo espevitou e o Sporting, que chegou à vantagem aos 41 minutos. Liedson marcou de calcanhar, após passe de Abel, mas depois de partir de posição irregular, não assinalada.

No lance seguinte, Matias Fernandes disparou com selo de golo, contudo Salin rubricou defesa de registo.

As expectativas para a segunda metade duraram apenas 13 minutos. Liedson cai na área após toque de Lupède e o juiz aponta a marca de grande penalidade. Matias Fernandez cobrou, colocando o resultado em 2-0.

Onze minutos volvidos, Yannick aproveitando erro clamoroso de Lupéde, marcou o terceiro golo e deixou a partida praticamente sentenciada.

A Naval 1.º de Maio não atirou a toalha ao chão e, cinco minutos volvidos, João Pedro, na sequência de um livre, ainda reduziu, mas não deu para mais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.