Sporting vence em Portimão após entrada de rompante e ultrapassa rivais

Sporting vence em Portimão após entrada de rompante e ultrapassa rivais

 

AO Online/ Lusa   Futebol   25 de Ago de 2019, 20:14

O Sporting venceu este domingo o Portimonense, por 3-1, em jogo com três golos nos primeiros nove minutos, e subiu provisoriamente à liderança da I Liga de futebol, ultrapassando os dois grandes rivais na tabela à terceira jornada.

Com dois golos de rajada, por Raphinha, aos três minutos, e Luiz Phellype, aos cinco, os ‘leões’ saíram na frente, mas contaram com reação imediata de Rômulo, aos nove (grande penalidade), acabando por fechar o triunfo com o ‘bis’ de Raphinha (65).

O Sporting colocou-se no primeiro lugar da Liga, com sete pontos, mais um do que Benfica, FC Porto e Famalicão (ainda joga hoje em Guimarães), enquanto o Portimonense ocupa o oitavo lugar, com quatro pontos.

Enquanto o técnico António Folha não mexeu na equipa que tinha vencido em Tondela (2-1), o avançado argentino Vietto foi a novidade do holandês Marcel Keizer, depois da vitória caseira sobre o Sporting de Braga (2-1), na jornada anterior, surgindo no lugar de Diaby a ocupar o flanco esquerdo do ataque ‘leonino’.

Os ‘leões’ surpreenderam o Portimonense com uma entrada de rompante e bastante eficaz, marcando dois golos em duas oportunidades nos cinco minutos iniciais.

Primeiro, aos três, surgiu o golo de Raphinha, em jogada individual da direita para o meio, fintando Pedro Sá à entrada da área e rematando com o pé esquerdo, em jeito, para o poste mais distante, sem hipóteses para o guardião algarvio.

Dois minutos depois, Vietto isolou Bruno Fernandes com um grande passe a rasgar a defesa da equipa de Portimão e o ‘capitão’ do Sporting ofereceu o golo ao brasileiro Luiz Phellype, que se limitou a encostar.

Pouco depois, Matthieu cometeu grande penalidade sobre Iury Castilho e o médio brasileiro Rômulo não desperdiçou, na conversão, cumpria-se o nono minuto.

Aos 10 minutos, Carlos Xistra assinalou falta à entrada da área. Depois de rever o lance por indicação do videárbitro, marcou penálti, mas, após três minutos de paragem, consultou de novo as imagens e reverteu a decisão devido a uma falta de Thierry Correia no início do lance.

Depois de um alucinante quarto de hora inicial com golos e várias incidências, as duas equipas assentaram o seu jogo e, mesmo com a partida equilibrada, o ritmo diminuiu claramente, escasseando o perigo junto às balizas durante largo período.

Só aos 37 minutos é que voltou a haver emoção: Vietto voltou a isolar Bruno Fernandes com outro bom passe e o médio português tentou o ‘chapéu’, que saiu fraco, dando tempo a Willyan para cortar em cima da linha de golo.

Dois minutos depois, o Portimonense esteve perto da igualdade, mas Iury Castilho cabeceou para fora, após contra-ataque bem delineado no lado esquerdo pelo lateral Henrique.

No segundo tempo, António Folha lançou os suplentes Lucas Fernandes e Jackson Martínez, que no ano passado serviram o Portimonense por empréstimo e agora estão vinculados a título definitivo, mas a estreia dos dois elementos não correu de feição.

O Sporting controlou a vantagem, perante um Portimonense sem dinâmica, e acabou por chegar ao terceiro golo, num cruzamento de Bruno Fernandes - segunda assistência da partida - para a conclusão de Raphinha ao segundo poste, nas costas de Koki Anzai (65).

O extremo brasileiro podia ter fechado o jogo com um ‘hat-trick’, aos 88 minutos, quando surgiu isolado, lançado por Vietto, mas permitiu a defesa de Ricardo Ferreira.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.