SPA diz que morte de Phil Mendrix interrompeu projeto discográfico


 

Lusa/Ao online   Cultura e Social   15 de Ago de 2018, 11:32

A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) manifestou esta terça feira o seu pesar pela morte, na segunda-feira, do músico Filipe Mendes, aos 70 anos, tendo-se interrompido um projeto discográfico.

Em comunicado, a SPA revela que “ia apoiar a edição de um disco de homenagem ao músico e compositor, projeto que o seu falecimento, vítima de cancro, interrompeu”.

A SPA refere que o músico era seu associado desde março de 1977 e “usava o pseudónimo artístico Phil Mendrix, como forma de homenagem a Jimi Hendrix, guitarrista e compositor norte-americano que sempre muito admirou e o influenciou como instrumentista”.

A cooperativa de autores que o distinguiu em novembro passado com a Medalha de Honra afirma que Phil Mendrix era “considerado um dos maiores guitarristas de sempre da música portuguesa” e assinala que a sua carreira “também passou pelo estrangeiro”.

Tendo fundado a banda Os Chinchilas, em 1964, Phil Mendrix fez parte de outros agrupamentos, nomeadamente, mais recentemente, Irmãos Catita, Ena Pá 2000 e Corações de Atum.

O velório do músico realiza-se hoje na capela de Santa Maria do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, onde, na quarta-feira, às 14:00, é rezada missa de corpo presente, seguindo-se o funeral para o Cemitério dos Prazeres, onde ficará sepultado no talhão dos artistas.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.