Sócrates na Madeira num "ambiente que marca novo ciclo"

 Sócrates na Madeira  num "ambiente que marca novo ciclo"

 

Lusa/AO Online   Nacional   18 de Abr de 2010, 15:59

O primeiro ministro, José Sócrates, afirmou hoje que o seu regresso à Madeira acontece num "ambiente diferente" que marca um novo ciclo também "na vontade de cooperar para recuperar a ilha".

José Sócrates falava no aeroporto da Madeira, à chegada à ilha cerca de dois meses depois do temporal de 20 de fevereiro, numa deslocação para assistir ao cortejo da Festa da Flor, que assinala a recuperação da ilha, e para reunir com o Governo Regional para determinar as medidas a adotar na reconstrução.

"É um ambiente muito diferente daquilo que vi há uns tempos quando vim cá exatamente depois da tragédia. Acho que hoje é o momento que marca um novo ciclo de confiança na Madeira, nos madeirenses, e de vontade de cooperarmos para fazermos aquilo que há a fazer para recuperar rapidamente a Madeira", disse.

O chefe do Executivo manifestou a sua satisfação pelo "trabalho do Governo Regional, que foi a todos os títulos exemplar, orgulhou os madeirenses e todos os portugueses".

"Venho aqui também para assinalar isso", declarou,

Referiu que esta é a primeira vez que vai observar o cortejo da Festa da Flor, daí estar "cheio de expetativas, principalmente para ver os sorrisos nas caras dos madeirenses que olharão para esta festa como o início de um período de maior confiança na economia da Madeira e do país".

"Venho para simbolizar o que é a expressão de solidariedade dos continentais com a Madeira e uma união patriótica para que ponhamos para trás das costas a tragédia e comecemos a construir aquilo que se deve construir", destacou.

O primeiro ministro salientou ainda ter "muito esperança" que da reunião que decorrerá segunda feira entre representantes dos Governos da República e Regional possa "sair um quadro bem claro de como vão fazer as coisas, cofinanciar as coisas, de forma que a Madeira tenha a garantia que será recuperado tudo aquilo que a tragédia destruiu a favor da economia madeirense e dos madeirenses".

José Sócrates chegou à Madeira a bordo do avião Falcon da Força Aérea Portuguesa, oriundo dos Açores, onde participou no congresso dos socialistas daquele arquipélago.

Esta é a quarta visita de Sócrates à Madeira em menos de um ano, duas das quais nos últimos dois meses, tendo o chefe do Governo efetuado uma deslocação ao Funchal no dia do temporal que assolou a ilha a 20 de fevereiro para observar os prejuízos, regressando na altura em que a ilha assinala o regresso à normalidade.

Depois de assistir ao cortejo, no âmbito do qual vão desfilar mais de 1300 figurantes distribuídos por nove grupos, explorando o tema "Terra", José Sócrates marca presença num jantar na Quinta da Vigia, oferecido pelo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim.

O programa da visita prevê ainda segunda feira uma reunião entre os responsáveis dos Governos Regional e da República para analisar o trabalho realizado pela comissão paritária que fez um levantamento dos prejuízos e avaliou as medidas para responder às necessidades depois da catástrofe que provou 43 mortos, 8 desaparecidos, 600 desalojados e avultados danos materiais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.