Sócrates diz que é da resposta europeia à crise que depende o apoio popular à União


 

Lusa / AO online   Nacional   12 de Jun de 2010, 13:26

O primeiro ministro, José Sócrates, defendeu hoje que a “resposta europeia” aos efeitos da crise financeira e económica é “condição indispensável do futuro da integração europeia e do apoio popular necessário ao aprofundamento da União”.

José Sócrates falava na cerimónia que assinala os 25 anos da adesão de Portugal e Espanha à União Europeia, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa.

“Assinalamos estes 25 anos da aventura europeia em Portugal e Espanha com a perfeita consciência dos desafios que se colocam ao projeto europeu”, afirmou o primeiro ministro português, cuja intervenção abriu a sessão.

Para o chefe de Governo, “os efeitos da crise financeira e económica global, aliados a uma globalização em vários sentidos desregulada, exigem uma reposta europeia, alicerçada na solidariedade e na coesão entre os estados e os povos europeus”.

“Essa resposta é condição indispensável do futuro da integração europeia e do apoio popular necessário ao aprofundamento da União”, defendeu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.