Sindicatos e executivo dizem que reestruturação da Sinaga avança bem

Sindicatos e executivo dizem que reestruturação da Sinaga avança bem

 

Lusa/AO online   Regional   10 de Jan de 2018, 09:48

O secretário regional da Agricultura e Florestas dos Açores, João Ponte, assegurou esta terça-feira que o processo de transferência de quadros da açucareira Sinaga "está a correr bem", estando por resolver o futuro de "11 trabalhadores".

"Dos 44 trabalhadores que foram identificados, neste momento 30 já têm os contratos assinados e 22 já iniciaram funções, portanto os outros oito irão iniciar funções no início de fevereiro", o que se deve a "situações de férias", afirmou o governante.

O responsável falava em Ponta Delgada, à saída de uma reunião com elementos dos três sindicatos que representam os trabalhadores da Sinaga e, na ocasião, João Ponte assumiu que falta resolver o problema de "11 trabalhadores", sendo que "três estão de baixa prolongada" e provavelmente vão continuar ligados à Sinaga.

"Nesses 11 estamos a ver com alguns departamentos do Governo [regional] em que serviços é que poderão vir a desempenhar funções, portanto, é sempre feito um trabalho inicial do contacto com o trabalhador, uma entrevista, e só depois o acordo por parte do trabalhador", ressalvou.

Quanto à futura utilização da fábrica da Sinaga, localizada em Ponta Delgada, depois de em outubro passado o executivo açoriano ter anunciado "suspender atividade", João Ponte aguarda a solução apresentada pelo conselho de administração da empresa.

"Neste momento estão a trabalhar nesse assunto, isso foi tudo muito recente, a decisão foi no final de outubro [de 2017], estamos em janeiro, passaram-se apenas dois meses e também vou reunir com o conselho de administração da Sinaga ainda este mês para fazer o ponto de situação", disse.

A porta-voz dos três sindicatos representativos dos trabalhadores, nomeadamente do Sindicato dos Profissionais das Indístrias Transformadoras, do Sindicato das Industrias Elétricas do Sul e Ilhas e do Sindicato dos Trabalhadores de Alimentação, Bebidas e Similares, Comércio, Escritórios e Serviços dos Açores também demonstrou estar "satisfeita" com todo o processo de reintegração dos trabalhadores em empresas e serviços públicos dos Açores.

"Nós estamos contentes, acho que foi uma condução positiva, estamos acompanhando passo a passo, está sendo uma deslocação positiva para os trabalhadores, começaram foi esta semana e ao fim daqui mais ou menos um mês nós vamos voltar a falar com os trabalhadores para sabermos o feedback dos trabalhadores", disse Isilda Amaral, lembrando que ainda permanecem "27 pessoas" na Fábrica da Sinaga.

O Governo dos Açores anunciou em outubro a suspensão da atividade da açucareira Sinaga, empresa que possui um passivo de 26 milhões de euros.

"A solução de suspensão da atividade, como a própria palavra indica, é transitória, havendo que aguardar e perceber o que vai acontecer no futuro, em termos de preços do açúcar, não sendo possível fazer previsões a médio e a longo prazo", declarou João Ponte na altura aos jornalistas.

João Ponte referiu, na altura, que 26 trabalhadores iriam manter-se na Sinaga nesta nova fase da sua existência e os 48 restantes transitariam, com os seus direitos salvaguardados, para a administração pública regional.

A grande maioria foi transferida para o matadouro da ilha de São Miguel, transitando os restantes para os Serviços de Desenvolvimento Agrário de São Miguel, parques florestais e laboratório de sanidade vegetal, entre outros.

O Governo Regional dos Açores anunciou em fevereiro de 2010 a aquisição, por 800 mil euros, de 51% do capital da açucareira Sinaga, que é a única empresa transformadora de beterraba existente em Portugal.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.