Açoriano Oriental
Sindicato dos Professores da Região Açores entrega petição a exigir igualdade de horários

O Sindicato dos Professores da Região Açores (SPRA) entregou na sede do parlamento regional, na Horta, uma petição subscrita por mais de 2.500 pessoas a reivindicar a igualdade de horários para todos os docentes do arquipélago.

article.title

Foto: Açoriano Oriental/Pedro Amaral
Autor: Lusa/AO Online

"O que exigimos é a igualdade de tratamento, quer ao nível dos horários de trabalho, quer ao nível do acesso às reduções da componente letiva por antiguidade", afirmou o presidente do SPRA, António Lucas, em declarações aos jornalistas, após a entrega do documento à presidente da Assembleia Legislativa Regional dos Açores, Ana Luís.

Segundo António Lucas, além de horários de trabalho diferentes, os docentes do 2.º e 3.º ciclos e do secundário têm direito a duas horas de redução letiva a partir dos 50 anos de idade, quatro horas aos 55 anos e oito horas de redução aos 60 anos, ao passo que os docentes da educação pré-escolar e do 1.º ciclo só têm acesso a reduções a partir dos 60 anos.

"Esta petição resulta de uma luta que o sindicato vem encetando desde 2010, desde o fim do regime especial de aposentação dos docentes do pré-escolar e do 1.º ciclo", adiantou o sindicalista, lamentando que o Governo Regional, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro, não tenha encontrado ainda uma forma de igualar estes horários.

O presidente do SPRA recordou que o primeiro-ministro, António Costa, reconheceu na comunicação social, na véspera das eleições legislativas, que o facto dos professores do 1.º ciclo e da educação pré-escolar não terem as reduções letivas nos mesmos termos que os professores do ensino secundário "era uma profunda injustiça".

"Estamos convictos de que o anterior primeiro-ministro António Costa vai dizer ao atual primeiro-ministro, António Costa, que isto é uma injustiça e que vai ser corrigida durante esta legislatura,", ironizou António Lucas, que foi acompanhado, na entrega da petição, por cerca de três dezenas de professores, empunhando cartazes e palavras de ordem.

Já na passada semana, os membros do SPRA tinham entregado na Secretaria Regional da Educação e Cultura, na Terceira, uma moção a reivindicar esta mesma posição, mas não chegaram a ser recebidos pelo titular da pasta, Avelino Meneses, que se encontrava ausente da ilha.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.