Seguradoras accionam mecanismos de avaliação dos estragos na Madeira


 

Lusa/AO On line   Nacional   25 de Fev de 2010, 05:32

 Várias seguradoras enviaram equipas especiais para acelerarem a avaliação dos estragos causados pela catástrofe na Madeira, como é o caso das seguradoras do Grupo CGD, da Açoreana (Banif) e da Ocidental (Millennium BCP Fortis), além de abrirem exceções nas indemnizações.

"Para acelerar e simplificar o processo de reparação de danos, a Fidelidade Mundial e a Império Bonança deslocaram para a Madeira, no dia imediato à ocorrência, equipas de peritos e técnicos especializados, suportadas por um núcleo central, com o objetivo de identificar e avaliar com a máxima rapidez os danos verificados e de processar as correspondentes indemnizações", anunciou na quarta feira à noite o Grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Também a Açoreana adotou a mesma medida, ativando "uma equipa especial de operações, que enviou de imediato para o Funchal com o objetivo de dar uma resposta às necessidades dos seus segurados. Cerca de 48 horas depois da ocorrência das cheias, a Açoreana já vistoriou 99 por cento dos sinistros comunicados, contando regularizar mais de 65 por cento dos sinistros até final da semana.

Pela Ocidental, fonte oficial do BCP disse à agência Lusa que "uma equipa reforçada está a trabalhar na Madeira, aconselhando os afetados a guardarem as coisas estragadas para que os danos possam ser contabilizados".

"A atuação proativa destas equipas [do Grupo CGD] já permitiu encerrar um número significativo de processos de avaliação de danos, aliás superior às participações de sinistros até agora realizadas pelos próprios lesados", salientou em comunicado o banco público.

As seguradoras Fidelidade Mundial, Império Bonança e OK Teleseguros, adicionalmente, decidiram dar um apoio suplementar aos clientes de seguro automóvel.

"Tendo em conta os danos visíveis no parque automóvel, e como forma de apoio solidário aos Clientes com os quais mantêm relações duradouras, a Fidelidade Mundial, a Império Bonança e a OK! teleseguros, decidiram indemnizar todos os seus clientes de seguro automóvel com cobertura de danos próprios, mesmo que não tenham contratado a cobertura opcional para proteção de danos provocados por 'fenómenos da natureza'", revelou o Grupo CGD.

As mesmas seguradoras comprometeram-se também a "apoiar os seus clientes de seguro automóvel que apenas tenham contratado as coberturas obrigatórias de responsabilidade civil, comparticipando nas despesas, não abrangidas pelo seguro, de reparação dos seus veículos danificados pela tempestade".

O apoio vai traduzir-se na "afetação de até 10 por cento do valor dos prémios de seguro automóvel recebidos na Madeira em 2009, traduz-se na comparticipação de 50 por cento das despesas de reparação, com o limite de 1000 euros por veículo", numa medida que abrangerá os clientes com seguro automóvel em qualquer das referidas seguradoras há mais de cinco anos.

O Instituto de Seguros de Portugal (ISP) garantiu na quarta feira à agência Lusa que está a monitorizar a resposta das seguradoras à catástrofe na Madeira, enquanto supervisor do setor, salientando que a atuação das mesmas revela "um elevado sentido de responsabilidade e solidariedade".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.