Secretária de Estado do Turismo abordou questões laborais com a Ryanair

Secretária de Estado do Turismo abordou questões laborais com a Ryanair

 

Lusa/AO Online   Economia   27 de Set de 2018, 13:11

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, afirmou esta quinta-feira que examinou numa reunião em Dublin com a transportadora aérea Ryanair a operação em todos os aeroportos nacionais, assim como “questões laborais”.

Na sequência de críticas do Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), Ana Mendes Godinho disse que “todas as situações relativas a Portugal foram tratadas, incluindo questões laborais”, escusando-se a desenvolver mais o assunto.

À margem da IV Cimeira do Turismo Português, a decorrer em Lisboa, a governante afirmou que o encontro visou uma “avaliação geral da Ryanair em Portugal, nomeadamente o planeamento das próximas operações” da companhia no país e como “se pode evoluir em todos os aeroportos”.

“O transporte aéreo é crucial para Portugal e para nós é fundamental esta articulação com todas as companhias aéreas. Faço isto regularmente, porque é uma das missões prioritárias que tenho: captar rotas para Portugal”, recordou.

Ana Mendes Godinho indicou que, nos últimos dois anos, houve 220 novas operações para Portugal.

Na quarta-feira, em comunicado, o SNPVAC tinha felicitado a Comissária Europeia do Emprego, Assuntos Sociais, Competência e Mobilidade Laboral, Marianne Thyssen, por ter “compelindo essa empresa [Ryanair] a mudar a sua postura relativamente às condições laborais”, enquanto qualificou de “inaceitável e incompreensível que a sra. Secretária de Estado do Turismo de Portugal, Ana Mendes Godinho, e o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, tenham visitado a sede da Empresa Ryanair em Dublin”.

“E ao invés de aproveitarem a ocasião para exigirem o cumprimento imediato da Constituição da República Portuguesa e das leis nacionais ao CEO [presidente executivo] da empresa, Michael O’Leary, preferiram realizar uma sessão fotográfica particular publicando de seguida, e com grande satisfação pessoal, uma fotografia numa rede social”, segundo o sindicato.

O sindicato lamentou a “atitude de profundo desrespeito pelos portugueses em geral, e de desprezo pelos tripulantes de cabine portugueses da Ryanair, em particular”.

“O SNPVAC mostra-se, no mínimo, desiludido perante esta atitude de subordinação por parte de um representante do Governo à empresa Ryanair”, lê-se no comunicado.

O sindicato referiu esperar um “esclarecimento cabal” do Governo e exigiu que a secretária de Estado do Turismo e o presidente do Turismo de Portugal “assumam as responsabilidades políticas desta atitude inqualificável perante os trabalhadores da Ryanair e todos os portugueses”.

“Assim, não havendo consequências políticas deste triste episódio e o Governo de Portugal continue a não exigir à Ryanair o cumprimento integral da Constituição e das leis nacionais, iremos responsabilizar também o executivo português por todas as ações que o SNPVAC será obrigado a tomar para que o cumprimento da lei nacional seja uma realidade”, conclui o comunicado.

Tripulantes de bases de seis países, incluindo Portugal, e pilotos da Holanda e da Alemanha da Ryanair vão estar em greve, na sexta-feira.

Os trabalhadores têm reivindicado a aplicação das leis laborais nacionais e não as irlandesas.

Na quarta-feira, a companhia aérea de baixo custo reviu em baixa o número de voos que vão ser cancelados, na sexta-feira, devido à greve agendada para 150, dos 190 inicialmente previstos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.