Sarkozy quer que Bush aceite reforma mundial e cimeira internacional


 

Lusa / AO online   Internacional   18 de Out de 2008, 20:01

O presidente francês reúne-se hoje com o seu homólogo norte-americano, em Camp David, para o pressionar, em nome dos europeus, a aceitar uma reforma da estrutura financeira mundial em crise e a realização de uma cimeira internacional.
    Os europeus querem uma reforma real e completa, uma espécie de novo acordo de Bretton Woods, que governa desde 1944 o mundo da finança internacional.

    O governo norte-americano de George W. Bush já se mostrou receptivo à realização de uma cimeira internacional, que reuniria os países do G8 (Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália, Canadá e a Rússia) e as grandes economias emergentes.

    Contudo, o presidente dos EUA apenas se comprometeu com uma reforma do sistema financeiro norte-americano.

    Os europeus propõem uma forma de supervisão mundial dos mercados, a cargo do Fundo Monetário Internacional.

    Hoje, George W. Bush reafirmou a sua convicção "na liberalização dos mercados", embora chamando a atenção para os efeitos perversos que as novas regulamentações podem ter sobre a actividade económica.

    Na sexta-feira, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, invocou a emergência de um "mundo novo" que deve ser regulado e "moralizado" e no qual os norte-americanos devem "compreender que também têm parceiros e que não estão sozinhos no mundo".

    Sarkozy defende a realização de uma cimeira internacional, já apoiada pelo secretário-geral das Nações Unidas, em Novembro, em Nova Iorque.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.