Santa Clara estuda construção de academia de futebol no Canadá

Santa Clara estuda construção de academia de futebol no Canadá

 

Lusa/Ao online   Futebol   13 de Out de 2018, 09:45

O Santa Clara está a estudar a possibilidade de construir no Canadá uma academia de futebol, apostando na internacionalização do clube, disse sexta-feira à agência Lusa um vice-presidente dos açorianos.

“Vamos analisar as hipóteses do Santa Clara de ajudar no processo da construção de uma academia que a Câmara Municipal de Brampton pretende implementar de raiz num espaço multiusos", afirmou Bruno Domingues.

Uma comitiva do Santa Clara está de visita aos Canadá desde quinta-feira, partindo no domingo para os Estados Unidos, tento em vista a internacionalização do clube.

Na manhã de sexta-feira, a comitiva reuniu-se com uma delegação da autarquia de Brampton, liderada pela Presidente da Câmara Municipal Linda Jeffrey e pelo vereador luso-canadiano de origem açoriana Martin Medeiros.

"Percebemos que têm necessidades de ajuda técnica para se aperceberem como deve funcionar a academia”, sublinhou Bruno Domingues.

O Santa Clara está atualmente a preparar o seu "projeto de academia nos Açores" para então "replicar esse modelo no Canadá e noutros locais".

“Primeiro, queremos organizar a nossa casa e depois então olhar para fora. Estamos sempre abertos a qualquer oportunidade e desafio que nos coloquem", declarou.

A cidade de Brampton, a 45km do norte de Toronto, dispõe de um recinto desportivo municipal com a capacidade para mais de 500 espetadores, mas a autarquia pretende construir num futuro próximo um novo estádio com pelo menos dois mil espetadores.

"Temos um mini-estádio, mas não é suficiente. É uma das metas para os próximos quatro anos a construção de um estádio com condições. Queremos no futuro ter um local com as condições para que as equipas de futebol possam estagiar", frisou Martin Medeiros.

O vereador regional da Câmara Municipal de Brampton, que se está a recandidatar ao cargo nas eleições municipais de 22 de outubro, deu como exemplo uma situação verificada no ano passado com uma equipa britânica.

"No ano passado, o Rangers, de Glasgow (Escócia), teve interesse em vir, mas não tínhamos as condições necessárias. É bom que haja interesse internacional pela cidade de Brampton”, acrescentou.

Um dos objetivos do Santa Clara, de regresso à I Liga de futebol, é fazer um estágio de pré-época da sua equipa profissional na América do Norte, disputando jogos na área de Toronto e Montreal, no Canadá, e de Boston, nos Estados Unidos.

O Brampton Youth Soccer será o clube local que servirá de ponte para a futura parceria com o Santa Clara.

A equipa canadiana está em crescimento e tem atualmente 1.800 jovens atletas nos seus escalões de formação, dos quatro aos 18 anos. No início de 2019, devido à fusão com um clube local, o número de jovens jogadores vai aumentar para perto de 3.000.

Após sete jornadas na I Liga portuguesa de futebol, os açorianos são sextos, com 11 pontos.

Perante este cenário no regresso ao principal escalão de futebol português, os dirigentes têm disponíveis pacotes de viagem com acesso aos jogos do clube destinados à comunidade portuguesa no Canadá e nos Estados Unidos.

“A diáspora tem a hipótese de assistir aos jogos, partindo de Toronto ou de Boston para os Açores. Viemos promover pacotes de viagens em parceria com agências de viagem, não só para o futebol, mas também viemos promover os Açores e o turismo”, referiu Bruno Domingues.

Atualmente com dois mil associados, o Santa Clara também pretende aumentar o número de sócios, principalmente junto das comunidades, dando uma "dimensão internacional ao clube", num projeto de "natureza mundial".

O Estádio de S. Miguel, casa do Santa Clara, atualmente em obras de requalificação numa parceria com o Governo Regional, tem uma capacidade de quatro mil espetadores, número que no início de 2019 deverá aumentar para os 12 mil.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.