Ryanair propõe-se como alternativa na Páscoa


 

Lusa / AO online   Economia   11 de Mar de 2010, 16:03

A companhia de baixo custo Ryanair censurou hoje a greve dos pilotos da TAP e propôs-se como alternativa à companhia aérea estatal para transportar os passageiros eventualmente afectados pelo protesto em período de férias de Páscoa.
A low-cost irlandesa critica que os pilotos da TAP tenham recusado uma proposta da administração que inclui um aumento de 1,8 por cento ao qual se junta uma percentagem dos ganhos de eficiência que a companhia venha a registar com a adopção de um novo Acordo de Empresa. A Ryanair realça também que o aumento proposto em si já entra em colisão com um pedido do Ministério das Finanças de no sentido as empresas públicas congelarem os salários.

A Ryanair "censura hoje (11 de Março) a greve anunciada pelos pilotos da TAP, a decorrer entre 26 e 31 de Março. Pretendendo um aumento salarial superior ao proposto pela Administração da TAP e que já em si estaria em contradição com o Plano de Estabilidade e Crescimento do Governo, os pilotos da TAP decidiram atribular os planos de viajem de milhares de Portugueses em época de Páscoa", refere a companhia irlandesa num comunicado enviado hoje às redacções

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.