Rui Rio reúne-se na quinta-feira pela primeira vez com deputados do PSD

Rui Rio reúne-se na quinta-feira pela primeira vez com deputados do PSD

 

Lusa/AO online   Nacional   7 de Mar de 2018, 14:14

O presidente do PSD reúne-se na quinta-feira pela primeira vez com o grupo parlamentar, duas semanas após a eleição de Fernando Negrão e quase três depois de Rui Rio ter sido confirmado em Congresso.

A reunião está marcada para as 11:00 na Sala do Senado da Assembleia da República, como habitualmente, de acordo com a convocatória enviada aos deputados.

Fernando Negrão foi eleito líder parlamentar do PSD a 21 de fevereiro, com menos de 40% dos votos, correspondentes a 35 votos a favor, 32 brancos e 21 nulos.

Negrão foi o único candidato à sucessão de Hugo Soares, que convocou eleições antecipadas para a liderança parlamentar depois de o novo presidente do PSD lhe ter transmitido a vontade de trabalhar com outra direção de bancada.

Esta reunião acontecerá depois de estabilizada, como defendeu Rio, a direção parlamentar dos sociais-democratas, e de eleitos os coordenadores e vice-coordenadores do PSD nas comissões, na passada sexta-feira com 76,5% dos votos.

Nas últimas semanas e questionado sobre a tensão sentida na bancada social-democrata, Rui Rio manifestou vontade de trabalhar com os 89 deputados do grupo parlamentar, mas avisou que os que “não quiserem colaborar” assumem essa responsabilidade.

“Os deputados são 89, à partida contamos com 89. Aqueles que não quiserem colaborar assumem essa responsabilidade de não colaborar, vou trabalhar com todos aqueles que quiserem trabalhar”, afirmou Rui Rio, em resposta aos jornalistas no final de um almoço de trabalho com o Presidente da República, no Palácio de Belém, em Lisboa, a 26 de fevereiro.

Novamente sobre o tema, numa visita à Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), a 01 de março, Rio reiterou essa disponibilidade de colaboração e, interrogado se quem não estiver disponível deve renunciar ao mandato, respondeu: "A consciência deles é que dirá".

"Também depende da forma como eles estão contra, se estiverem contra. Podem estar um bocadinho contra ou muito contra, digamos assim. Eu também fui deputado e não tive de estar sempre de acordo com tudo, tudo, tudo que o grupo parlamentar fez", admitiu.

Ainda nesse dia, o presidente do PSD comentou a primeira reunião da bancada dirigida por Fernando Negrão, e na qual o líder parlamentar pediu desculpa aos deputados por "algum excesso de linguagem" antes e depois da eleição da direção da bancada e disse acreditar que "os problemas" internos "estão resolvidos".

"A reunião do grupo terá corrido bem se as pessoas nesta reunião do grupo disseram todas aquilo que lhes ia na alma e que quisessem dizer e, depois de tudo dito, partirem para uma etapa nova", afirmou Rui Rio aos jornalistas, após um almoço com a presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, na sede centrista, em Lisboa.

Segundo Rui Rio, "quando as pessoas não falam abertamente, fica uma paz podre".

"Isso foi o que eu pedi para não haver, paz podre no grupo parlamentar. Quem está mal diz que está mal, quem está bem diz que está bem, confrontam-se posições e, depois, se forem adultos, procurarem um caminho comum", afirmou.

Nestas quase três semanas desde que foi confirmado em Congresso – Rui Rio foi eleito em diretas em 13 de janeiro com 54% dos votos - , o presidente do PSD já se reuniu com o Presidente da República por duas vezes (uma chefiando a delegação do PSD e outra sozinho), uma com o primeiro-ministro – na qual falou numa “nova fase” nas relações com o Governo e foram apontados dois temas prioritários para entendimentos, descentralização e fundos comunitários – e uma com a líder do CDS-PP.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.