Revista de Imprensa Nacional


 

Lusa / AO Online   Nacional   5 de Jun de 2010, 07:45

O limite máximo para as garantias do Estado no Plano de Estabilidade e Crescimento, a possibilidade de Luís Amado abandonar o Governo e um relatório da Comissões de Proteção de Crianças são temas hoje em destaque na imprensa.

“Aumento de garantias do Estado a empresas agrava guerra PS/PSD” é o título principal do Diário de Notícias, que acrescenta: “PEC II: Governo quer aumentar de nove para 32 milhões o aval limite às operações financeiras. Passos Coelho está contra e vai contestar”.

O DN destaca ainda os títulos “Cimeira da NATO em Lisboa alvo da Al-Qaeda e de anarquistas” e “Num ano tiveram de ser retiradas 2700 crianças às suas famílias”.

Quanto ao i revela: “Luís Amado em vias de abandonar Governo de Sócrates”.

O jornal lembra que o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros já pediu em 2009 para sair, alegando cansaço, mas agora podem somar-se razões políticas. Luís Amado foi desautorizado duas vezes esta semana no Parlamento: na sexta feira por José Sócrates e antes pelo grupo parlamentar, escreve o jornal.

No dia em que se comemora o Dia Internacional do Ambiente, o i divulga uma entrevista com a ministra Dulce Pássaro, em que anuncia que “vai haver coimas para quem se deitar nas praias em zonas perigosas”.

“Passos quer liberalizar despedimentos e contratações” – é a manchete do Expresso, avançando que a proposta do PSD, que é para valer até 2013, mas pode manter-se depois de passar a crise, está quase pronta e foi desvendada pelo líder laranja num encontro com empresários.

O Bloco de Esquerda e o PCP protestam e Francisco Louçã diz mesmo que Portugal “não pode ser o Zimbabué”.

O semanário destaca ainda uma entrevista com Jardim Gonçalves, puxando para título a afirmação: “Constâncio e Tavares quebraram a confiança na banca”.

O Público escreve: "Uma em cada cinco crianças em risco é estrangeira”, citando o relatório anual de avaliação da actividade das Comissões de Proteções de Crianças e Jovens.

A negligência, a exposição a comportamentos desviantes e os maus tratos psicológicos foram os motivos mais frequentes para a instauração daqueles processos.

O Jornal de Notícias também faz manchete com este relatório, salientando: “Seis crianças por dia retiradas à família”.

Uma fotografia de um par de sapatos vermelhos na primeira página do JN serve de pano de fundo ao título: “Vai ser mais caro comprar sapatos” devido ao aumento de 30 por cento no preço das peles.

O Correio da Manhã preenche a manchete com o processo Face Oculta, titulando: “Godinho protege Vara”.

O jornal refere que a “prometida colaboração” do arguido no processo Manuel Godinho, que estaria disposto a contar tudo sobre os alegados subornos de que é acusado, “não passa de uma miragem”. O empresário de Ovar não tem dito nada de relevante, limitando-se a negar as acusações que lhe são feitas.

O Diário Económico noticia: “Estado vota contra venda da Vivo se PT sair do Brasil”.

O Governo deverá dar orientações à Caixa e à Parpública para votarem contra a venda da Vivo à Telefónica, a menos que a Portugal Telecom consiga alternativa para ficar no Brasil, acrescenta.

O DE destaca ainda os títulos: “Certificados de aforro só estão a atrair portugueses com mais de 100 mil euros” e “Bolsas e euro afundam com cenário de bancarrota na Hungria”.

O 24horas dedica o espaço principal da primeira página a Carmen Pinheiro, a menina de cinco anos que fez um transplante de medula, titulando: “Mãe quantos dias faltam para eu ficar boa?".

A contratação de André Villas-Boas para treinador do FC Porto, o interesse do Benfica em Leto, extremo argentino do Panathinaikos, e a possibilidade do sueco Daniel Larsson rumar para Alvalade são os temas em destaque nos desportivos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.