Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   19 de Set de 2008, 06:23

A “revolta” dos deputados do PS contra a disciplina de voto nos casamentos homossexuais, a entrada em Portugal de uma máfia das favelas brasileiras e a falta de manuais escolares estão hoje em destaque na imprensa de Lisboa.
“Deputados do PS querem voto livre par os casamentos homossexuais”, anuncia o Público, que refere que o líder parlamentar socialista, Alberto Martins, “é favorável a matrimónios gay mas impõe disciplina de voto”.

    Sobre o mesmo assunto, o Diário de Notícias (DN) destaca “deputados do PS contra veto do partido a casamento ‘gay’”, referindo que “Paulo Pedroso e Maria de Belém querem voto livre”.

    O matutino acrescenta que “a direcção nacional do PS receia que possa haver uma rebelião no grupo parlamentar socialista quando da discussão do projecto do Bloco de Esquerda para legalizar o casamento entre homossexuais” e anuncia que o número de deputados contra a disciplina de voto pode aumentar nos próximos dias.

    O destaque fotográfico do Público vai para um foto do maior espadim-azul pescado até agora na Europa, um peixe de 419 quilos capturado em Sesimbra.

    O DN refere-se à derrota do Benfica em Nápoles (3-2) em jogo da primeira mão da primeira eliminatória da Taça UEFA, comentando que a equipa “encarnada” sofre “mas sobrevive ao inferno napolitano”.

    O Correio da Manhã revela na manchete que se instalou em Portugal uma máfia das favelas brasileiras, com um grupo de jovens brasileiros a criar uma cópia do Primeiro Comando da Capital, a que deram o nome de Primeiro Comando de Portugal.

    O grupo, que se instalou na margem sul de Lisboa, “é composto por jovens provenientes das favelas brasileiras, para quem a violência é um modo de vida. Têm hino no YouTube e agregam-se na internet, onde mostram alguns dos produtos do crime. Desafiam as autoridades e congregam o gosto pelas armas”, anuncia o matutino.

    Sobre o Nápoles-Benfica, o jornal diz que “águas deixam tudo em aberto”.

    O Jornal de Notícias (JN) dedica o principal espaço da primeira página à escassez de livros escolares no mercado, situação que, refere, se deve a “atrasos na “produção”.

    “Editores desvalorizam e remetem falhas para problemas com distribuição”, indica o matutino, acrescentando que a “Confederação de pais confirma recepção de inúmeras reclamações”, apontando ao mesmo tempo que os portugueses a estão a “comprar manuais via Net” devido à “comodidade e descontos”.

    Destaca ainda na capa o Nápoles-Benfica, referindo que apesar do resultado desfavorável de 3-2, a equipa da Luz está “a um golo da festa”, recordando que nos outros jogos da Taça UEFA envolvendo equipas portuguesas “Braga goleou, Setúbal empatou e Guimarães e Marítimo perderam”.

    O 24horas faz manchete com o título “quatro suicídios na GNR e PSP em cinco dias”, referindo que na quinta-feira mataram-se dois militares daquela força, em Alpedrinha e Almargem do Bispo.

    O jornal diz ainda que “derrota em Nápoles (3-2) dá esperança às +águias+” num jogo em que “Luisão e Suazo foram gigantes”.

    O Jornal de Negócios (JdN) denuncia o que diz ser o “maior cartel de sempre” no sector de fornecimento de refeições a escolas públicas e hospitais.

    “Sete empresas enganaram o Estado durante 10 anos”, assegura o jornal económico, referindo que dezenas de escolas e hospitais “pagaram demais por refeições durante 10 anos”, com “lucros ilícitos de 172 milhões”, num negócio que só acabou porque os participantes se desentenderam no concurso para o Casino Estoril.

    O JdN refere que a crise financeira provoca “juros em valores recorde sem espaço para descer este ano”, com a prestação da casa a subir.

    O Diário Económico (DE) anuncia em manchete que a crise bancária obriga ao adiamento da construção de auto-estradas, uma exigência das construtoras a que, diz, o governo acabou por ceder.

    “As construtoras que integram os consórcios que estão a disputar as fases finais de negociações das concessões de auto-estradas de Trás-os-Montes - Auto-estrada Transmontana e Douro Interior - conseguiram vencer o braço-de-ferro com o Governo e viram aceite o seu pedido de adiamento das datas para entrega das propostas finais destes concursos”, escreve o matutino económico.

    O DE revela ainda que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) está a analisar o que se passou quinta-feira na Bolsa de Lisboa, que fechou o dia a perder mais de 3 por cento enquanto as suas congéneres europeias encerraram mistas ou com perdas ligeiras e os índices norte-americanos registaram a maior valorização desde 2002.

    O Semanário Económico (SE) escreve em manchete “ERSE vai regular combustíveis”, explicando que um dos cenários admitidos pelo governo para aumentar a concorrência e transparência no sector é atribuir a regulação dos combustíveis à Entidade Reguladora do Sector Energético (ERSE).

    De acordo com o jornal, a ERSE passaria a regular as redes, o armazenamento e a fixar tarifas de acesso.

    O SE destaca ainda um frente-a-frente entre o professor catedrático Delgado Domingos, opositor da energia nuclear, e o engenheiro Sampaio Nunes, consultor e apoiante daquela fonte de energia, indicando em título que o investidor Patrick Monteiro de Barros “fartou-se” dos “nãos” do governo à proposta de construção de uma central nuclear.

    O Semanário anuncia na edição de hoje que “Orçamento para 2009 evita confronto com Belém”, acrescentando que “Sócrates vai guardar margem de manobra para o ano de todas as eleições”.

    O jornal diz que “núcleo de Sócrates tenta aliviar crise com Belém e isola Carlos César” na questão do Estatuto dos Açores.

    No topo da página, o Semanário titula “Santana Lopes impõe-se a Ferreira Leite” como candidato social-democrata à Câmara Municipal de Lisboa.

    O desempenho de Suazo na derrota do Benfica, por 3-2, frente aos italianos do Nápoles na primeira-mão da primeira eliminatória da Taça UEFA em futebol centra hoje as atenções nas primeiras páginas dos jornais desportivos.

    “Suazo e sofrido”, titula o Record, considerando a “Eliminatória para decidir na Luz” antes de destacar a exibição do hondurenho: “Avançado marca na estreia joga 20 minutos lesionado e pode falhar Paços de Ferreira”.

    A Bola garante que “Suazo pode resolver na Luz”, depois de “Um golo e muitas promessas na estreia do hondurenho” com as cores do Benfica.

    Na sua manchete, O Jogo garante que “Só o pararam à pancada”, sublinhando que “Suazo fez o 1º golo e foi vítima de entradas muito duras” e que a “Coxa direita do avançado deixa-o em dúvida para a Mata Real”.

    Ainda sobre o jogo de quinta-feira, O Jogo refere que o “Árbitro perdoou um penalti e um vermelho aos italianos” e o treinador “Quique (Flores) diz que o Benfica só começou a jogar após sofrer 3º golo”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.