Rali de Portugal: Ogier procura ‘hexa’ e um novo recorde

Rali de Portugal: Ogier procura ‘hexa’ e um novo recorde

 

Lusa/AO online   Motores   15 de Mai de 2018, 09:36

O francês Sébastien Ogier (Ford Fiesta) parte como favorito para a 52.ª edição do Rali de Portugal, depois de ter igualado em 2017 o recorde de vitórias do finlandês Markku Alén.

O pentacampeão do mundo de ralis chega à sexta prova do campeonato do mundo com três triunfos, em Monte Carlo, no México e em França, mais do que os que conquistou no ano passado, quando venceu ‘apenas’ no asfalto monegasco e na gravilha lusa.

Depois dos triunfos em 2010, 2011, 2013 e 2014, o francês retomou no ano passado os triunfos em Portugal, vencendo pela primeira vez desde que o rali regressou ao norte do país e, desde logo, igualando o feito de Alén, campeão em 1975, 1977, 1978, 1981 e 1987.

Os três triunfos de Ogier nas primeiras cinco provas do campeonato ‘empatam’ com os arranques de temporada de 2013, 2014 e 2015, lamentando somente o quarto lugar na Argentina e o, praticamente propositado, 10.º lugar na Suécia, onde, afastado dos primeiros lugares, o francês, que criticou as condições dos troços, partiu deliberadamente atrasado para ainda amealhar quatro pontos na ‘power stage’.

O favoritismo do francês depara-se com a competitividade do belga Thierry Neuville (Hyundai i20), primeiro na Suécia, e do estónio e seu antigo companheiro de equipa Ott Tänak (Toyota Yaris), vencedor na Argentina, segundo e terceiro classificados do Mundial, a 10 e 28 pontos da liderança, respetivamente.

O norueguês Andreas Mikkelsen (Hyundai i20) chega a Portugal na quarta posição, um ano depois de ter disputado a prova no WRC2, antes de ser ‘repescado’ pela Citroën para substituir o britânico Kris Meeke e de ter sido recrutado pela marca coreana para esta temporada.

Só com um pódio este ano, Meeke (Citroën C3), vencedor do rali em 2016, é sempre um candidato a andar na frente, tal como o seu antecessor no historial, o finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris), que conta também apenas um terceiro lugar, no Mónaco.

Também entre os 13 WRC inscritos consta o nome do norueguês Mads Ostberg (Citroën C3), campeão em Portugal em 2012, após a desclassificação do finlandês Mikko Hirvonen.

Apesar do regresso a tempo parcial ao Mundial, o francês Sébastien Loeb, vencedor do rali luso em 2007 e 2009, limitou a sua presença às provas no México e na Córsega – onde foi quinto e 14.º - e vai voltar a levar o seu Citroën a alinhar em Espanha, entre 25 e 28 de outubro, no lugar do irlandês Craig Breen.

Com 20 classificativas, mais uma do que nas duas edições anteriores, o Rali de Portugal mantém a sua base em Matosinhos, no Porto, e conserva a sua estrutura, desenrolando-se maioritariamente no Minho, onde se destaca a homenagem da organização ao concelho de Fafe, palco de todos os troços no domingo.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.