Quarta geração móvel estará disponível em Portugal em 2011

Quarta geração móvel estará disponível em Portugal em 2011

 

Lusa/AO Online   Economia   21 de Abr de 2010, 15:32

 O presidente executivo da Portugal Telecom (PT), Zeinal Bava, anunciou hoje, em Aveiro, que a quarta geração móvel (4G) deverá estar disponível em Portugal já no próximo ano.

"Em 2011 há todas as condições para a quarta geração estar disponível para algumas aplicações específicas, nomeadamente a banda larga móvel", disse Zeinal Bava durante o Mobile Innovation Day, realizado hoje nas instalações da PT Inovação em Aveiro.

O presidente executivo da PT, que prevê que a massificação desta nova tecnologia possa acontecer em 2012 ou 2013, anunciou ainda que a empresa vai realizar um teste-piloto no segundo semestre deste ano, num local que não foi ainda revelado.

Quanto ao processo para a atribuição de licenças da quarta geração em Portugal, Bava defendeu que "é fundamental garantir que os operadores que têm investido no mercado português tenham condições atrativas para continuar a ter acesso a esse espetro".

Durante o Mobile Innovation Day, foram apresentados vários serviços, para o segmento empresarial e residencial, usando a tecnologia da quarta geração móvel, mais conhecida por LTE (Long Term Evolution), que permitirá velocidades de banda larga móvel de 100 a 150 Megabits por segundo.

Entre os novos serviços estão a possibilidade de aceder a conteúdos 3D no telemóvel, passando por um carro que possui capacidades inovadoras ao nível do entretenimento, informação e serviços de segurança, até uma ambulância com equipamento de telemedicina (até agora apenas utilizado em hospitais e centros de saúde) garantindo que em qualquer momento um médico especialista pode estar a analisar o estado de um doente em tempo real.

Ainda na mesma ocasião, o presidente executivo da PT voltou a pedir "bom senso" à Autoridade Nacional das Comunicações (ANACOM) na definição do que vão ser as tarifas de terminações para os próximos anos.

"Nesta altura de economia mundial onde é necessário defender o emprego e potenciar o investimento, espero que tudo isso seja tomado em consideração pela ANACOM na decisão que vier a tomar sobre terminações móveis", disse Zeinal Bava

A ANACOM tem uma proposta para baixar o preço das terminações móveis (preço pago pelos operadores por terminarem as suas chamadas na rede móvel de outro operador).

A decisão, que tem vindo a ser contestada pelos vários operadores, poderá, segundo Zeinal Bava, vir a pôr em causa alguns investimentos que têm sido feitos neste setor.

"É preciso a nossa indústria ter previsibilidade regulatória para continuar a investir", defendeu o presidente executivo da PT, considerando que, se isso não acontecer, "vai ser muito dificil justificar esse investimento aos accionistas e quem vai sair perdedor é o consumidor e as empresas".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.