PSI 20 fecha positivo com EDP a subir mais de 1%


 

Lusa / AO online   Economia   21 de Set de 2007, 18:14

A Euronext Lisboa fechou em alta, em sintonia com as congéneres europeias, com PSI 20 a somar 0,37 por cento, para 12.160,42 pontos, com a EDP a subir mais de 1 por cento.
Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, 12 subiram, três desceram e cinco ficaram inalterados, numa sessão de elevada liquidez.

Pela positiva destaque para Impresa, Sonae e Sonae Indústria e para a EDP.

Do lado negativo referência para BCP, Soares da Costa e Semapa, únicos títulos que encerraram no 'vermelho'.

A Europa terminou o dia com ganhos, animada sobretudo por títulos de fabricantes automóveis e de mineiras.

No sector automóvel, BMW, Renault, DaimlerChrysler, Volkswagen e Peugoet encerraram hoje entre os maiores ganhos, depois de a Goldman Sachs ter revisto em alta a recomendação sobre esta indústria.

A BHP Billiton, Rio Tinto e Xstrata subiram beneficiando do aumento dos preços dos metais.

Entre os ganhos mais acentuados ficaram ainda tecnológicas como Philips e Alcatel-Lucent, títulos da banca como Barclays e HBOS, e seguradoras como Allianz, Axa e Generali.

Farmacêuticas como Novartis e Sanofi-Aventis terminaram a sessão em queda.

O índice de referência DJ Stoxx 50 fechou em alta de 0,37 por cento, para 3.822,94 pontos, e o Euronext 100 encerrou a ganhar 0,15 por cento, para 1.011,89 pontos.

As valorizações nas congéneres da bolsa portuguesa oscilaram entre os 0,05 por cento de Milão e os 0,77 por cento de Frankfurt.

A Euronext Lisboa acompanhou a tendência positiva do exterior, com a maioria dos títulos a encerrar com ganhos e com o BCP a limitar uma maior subida.

O maior banco privado português liderou as desvalorizações com uma queda de 1,31 por cento para 3,02 euros e foi o título mais transaccionado com 33,7 milhões de acções trocadas.

Os outros dois títulos da banca, BES e BPI, fecharam positivos, a subir 0,7 e 0,16 por cento, para 15,8 e 6,2 euros, respectivamente.

A Impresa protagonizou a maior subida do dia, ao avançar 4,64 por cento para 2,48 euros, beneficiando de uma revisão em alta da recomendação sobre as suas acções feita hoje pela UBS.

No grupo Portugal Telecom (PT), a operadora de telecomunicações subiu 0,3 por cento para 9,88 euros e a PT Multimédia ficou inalterada nos 11,9 euros.

A PTM anunciou que o gestor Rodrigo Costa foi hoje nomeado presidente da comissão executiva da PT Multimédia, substituindo Zeinal Bava, no seguimento do processo de separação entre esta empresa e o seu maior accionista, a PT.

A Brisa fechou "estável", a cotar a 9,1 euros.

No universo Sonae, a Sonaecom ficou inalterada nos 3,48 euros, a Sona Indústria progrediu 2,04 por cento para 8,52 euros e a casa-mãe somou 2,19 por cento para 1,87 euros.

A EDP foi dos títulos que mais contribuiu para a subida do índice, ao avançar 1,26 por cento para 4,02 euros.

A REN progrediu 1,16 por cento para 3,48 euros e a Galp Energia somou 0,18 por cento para 10,92 euros.

Durante a sessão de hoje foram transaccionadas 87,3 milhões de acções no principal índice da bolsa portuguesa, correspondentes a um volume de negócios de 355,7 milhões de euros.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.