Bolsa

PSI 20 fecha com ligeiro ganho de 0,03%


 

Lusa / AO online   Economia   6 de Jan de 2010, 16:43

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI 20, fechou com um ligeiro ganho de 0,03, para 8.680,3 pontos, numa Europa positiva, à excepção de Frankfurt, que caiu uns ligeiros 0,04 por cento, puxada pela EDP, pelo BCP e Altri.
A Bolsa de Lisboa fechou em linha com as congéneres de Madrid, Paris e Londres e em contraciclo com Frankfurt.

Dos 20 títulos que integram o índice português, 12 registavam subidas no fecho da sessão e oito acabaram com descidas.

Depois de na terça-feira se ter assistido a uma sessão animada, fruto de algumas notícias favoráveis às empresas cotadas, a praça portuguesa esteve hoje bastante calma, puxada pelo 'peso pesado' EDP que subiu 0,192 por cento, para 3,125 por cento, e pelo BCP que ganhou 0,113 por cento, para 0,889 por cento.

O índice PSI 20 encerrou hoje em terreno positivo pela terceira sessão consecutiva, ajudado também pela 'performance' do BES, que ganhou 1,064 por cento, para 4.75 euros, e da ZON Multimédia que valorizou 0,977 por cento, para 4,445 euros.

Numa sessão pouco movimentada em que o PSI 20 valorizou apenas 0,03 por cento, transaccionaram-se 39,4 milhões de acções, no montante de 109,5 milhões de euros.

Também a Altri se pautou pela positiva, ao subir 3,66 por cento, para 4,168 euros, depois das boas notícias da véspera, em que a empresa anunciou que a produção em 2009 alcançou um crescimento de 30 por cento este ano e que os recentes investimentos deverão catapultar a produção de pasta de papel para um aumento de 37 por cento.

Pela positiva esteve igualmente a Zon, que é a dona da TV Cabo, ao valorizar 0,977 por cento, para 4,445 euros. A Sonaecom subiu 2,03 por cento, para os 2,006 euros, mas 'o peso pesado' do principal índice da bolsa portuguesa, a Portugal Telecom, perdeu 0,30 por cento, para os 8,512 euros.

Pela negativa, além da PT, o destaque foi para a Galp Energia, que caiu 1,295 por cento para 12,575 euros, o que pode ser explicado pelo recuo do preço do petróleo, que levou à realização de mais-valias pelos investidores.

Por sua vez, a Semapa caiu 0,993 por cento, para 7,78 euros, e a Cimpor deslizou 0,202 por cento, para 6,432 euros, condicionada pela OPA lançada pela CSN.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.