Incêndios

PSD quer saber quanto pagou o Estado por 33% do SIRESP

PSD quer saber quanto pagou o Estado por 33% do SIRESP

 

Lusa/Ao online   Nacional   4 de Ago de 2018, 02:52

O PSD exigiu saber esta sexta feira quanto pagou o Estado por 33% do capital social do SIRESP e se existe um acordo entre os acionistas que dê “garantias e privilégios” na nomeação do presidente e nas opções estratégicas.

Numa pergunta ao ministro da Administração Interna, os sociais-democratas querem igualmente saber por que motivo o Governo não conseguiu que o Estado ficasse maioritário na empresa que gere o Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP), tendo apenas 33%.

As falhas no SIRESP estiveram no centro da polémica desde os incêndios de junho e outubro de 2017, em que morreram mais 100 pessoas, o que levou o executivo a anunciar que o Estado iria “assumir 54% do capital da SIRESP”.

Na pergunta enviada a Eduardo Cabrita, assinada pelo líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, e cinco outros deputados, é também pedido que o executivo explique por que tal não aconteceu e se existe “um acordo escrito” com os acionistas que dê “garantias e privilégios ao Estado, através do Governo, na nomeação do presidente” e em questões de investimentos e opções estratégicas.

Na quarta-feira, a Altice Portugal anunciou que exerceu o direito de preferência na compra das participações da Esegur e Datacomp no SIRESP, passando a deter 52,1%.

O Estado vai assumir a posição de acionista da Galilei, passando a deter 33% do capital social do SIRESP, de acordo com um comunicado conjunto dos Ministérios das Finanças e da Administração Interna.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.