PSD/Madeira diz que Albuquerque é o “único candidato” capaz de defender a região

PSD/Madeira diz que Albuquerque é o “único candidato” capaz de defender a região

 

AO Online/ Lusa   Nacional   20 de Jul de 2019, 21:23

O PSD/Madeira renovou este sábado a confiança no líder Miguel Albuquerque, afirmando que é o "único candidato" capaz de defender os interesses da população, e criticou a "subserviência" do PS regional ao "centralismo de Lisboa".

"É o único capaz de lutar, de forma acérrima, em nome da autonomia e dos direitos e interesses dos madeirenses e porto-santenses, dentro e fora da região, contra todos os que defendem o centralismo e o regresso ao passado", disse Adolfo Brazão, porta-voz do Conselho Regional do PSD, que se reuniu no Funchal.

Miguel Albuquerque foi eleito presidente do Governo da Madeira 2015, substituindo Alberto João Jardim, e agora recandidata-se a um segundo mandato nas eleições legislativas regionais de 22 de setembro.

"O [primeiro] mandato fica marcado pelo forte investimento nas áreas da saúde, do emprego e da educação e do apoio social às famílias", afirmou o porta-voz, destacando também a redução da taxa de IRS, que permitiu a "devolução de cerca de 37 milhões de euros às famílias", e a redução em 40% do preço das creches.

Adolfo Brazão sublinhou, ainda, os 78,6 milhões de euros de apoios concedidos às empresas, a redução da taxa de IRC e criação de 18 mil novos postos de trabalho, reduzindo a taxa de desemprego de 15,8% para 7%.

Em sentido contrário, o PSD/Madeira critica o governo central e a "subserviência" do PS local em relação ao "centralismo de Lisboa" e à defesa do "regresso ao passado".

"Os madeirenses e porto-santenses não se reveem em políticos e candidatos que são telecomandados pelo PS nacional e que não sabem pensar si próprios", disse Adolfo Brazão, acusando a oposição socialista de "usar meios do Governo da República" para bloquear dossiers importantes como o novo hospital ou a linha do ferry.

O PSD repudiou, também, o "aproveitamento político" do PS/Madeira no que respeita à alteração do modelo de subsídio de mobilidade, reforçando que a proposta aprovada sexta-feira na Assembleia da República, que viabiliza o pagamento de 86 euros a residentes e 65 a estudantes nas viagens aéreas, deve-se ao esforço do parlamento regional, do executivo e do partido.

Esta foi a última reunião do Conselho Regional do PSD/Madeira antes das eleições de 22 de setembro e aconteceu uma semana antes da Festa do Chão da Lagoa, marcada para domingo, 28 de julho.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.