Política

PSD e CDS-PP vão criar Conselho de Coordenação da Coligação

PSD e CDS-PP vão criar Conselho de Coordenação da Coligação

 

LUSA/AOnline   Nacional   20 de Set de 2012, 21:33

PSD e CDS-PP decidiram hoje criar um Conselho de Coordenação da Coligação para "melhorar os níveis de articulação entre as direções dos partidos, os grupos parlamentares e o Governo".

Esta decisão foi anunciada num comunicado conjunto, divulgado no final de uma
reunião de delegações do PSD e do CDS-PP, sem os presidentes dos respetivos
partidos, Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, que teve início às 19:00 e
terminou cerca das 20:50, num hotel de Lisboa.

"O PSD e o CDS consideram apropriado melhorar os níveis de articulação entre
as direções dos partidos, os grupo parlamentar e o Governo. Nesse sentido, foi
decidido constituir um Conselho de Coordenação da Coligação", refere o ponto 5
deste comunicado, composto por oito pontos, que foram acertados na reunião de
hoje.

No primeiro ponto, os dois partidos afirmam que as respetivas direções
nacionais "consideram fundamental, no atual quadro de grande exigência para
Portugal e para os portugueses, ter uma coligação forte e empenhada na
governação e apoiar um governo coeso" e renovam o compromisso de "empreender
todos os esforços com vista a garantir a estabilidade e continuidade" do
Governo, salvaguardando o "respeito pela identidade própria" de cada
partido.

Esse compromisso está inscrito no acordo político de coligação "Maioria para
a Mudança" assinado em 16 de junho do ano passado, no qual se lê: "O PSD e o
CDS-PP-PP comprometem-se, através das respetivas direções políticas e dos seus
órgãos próprios, a empreender todos os esforços com vista a garantir a
estabilidade e continuidade desse Governo".

No segundo ponto do comunicado divulgado hoje, as direções dos dois partidos
"reafirmam o compromisso estabelecido no acordo político de coligação e nas
linhas de orientação do Programa de Governo, assumindo a responsabilidade
conjunta na prossecução das políticas, objetivos e decisões do Governo e na
execução dos compromissos acordados no memorando de entendimento, bem como na
concretização da estratégia de equilíbrio orçamental prevista para a
legislatura, no sentido do alcance dos objetivos que assegurem a recuperação da
nossa economia, o crescimento económico e a nossa soberania plena".

No ponto seguinte, PSD e CDS-PP responsabilizam os anteriores governos pelo
"momento crítico que Portugal atravessa", ao defender que este é "consequência
de opções políticas erradas que conduziram a um endividamento excessivo, a par
de um contexto internacional mais adverso".

Os dois partidos que suportam o Governo acrescentam que estão empenhados "na
responsabilidade orçamental, nas reformas estruturais e na equidade da
repartição dos esforços, princípios que permitem a Portugal vencer a crise e
impulsionar uma trajetória de crescimento sustentável" e "em políticas
humanistas, especialmente atentas ao combate ao desemprego e à promoção da
igualdade de oportunidades".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.