PSD/Açores quer pequenas cirurgias nos Centros de Saúde de Ponta Delgada e Ribeira Grande

PSD/Açores quer pequenas cirurgias nos Centros de Saúde de Ponta Delgada e Ribeira Grande

 

AO/LUSA   Regional   19 de Jun de 2018, 20:08

O grupo parlamentar do PSD/Açores entrega hoje na Assembleia Regional um projeto de resolução a recomendar ao Governo Regional a abertura de salas de pequena cirurgia nos Centros de Saúde de Ponta Delgada e Ribeira Grande.

“No fundo é uma reabertura porque estas salas já funcionaram até final de dezembro de 2012. A nossa preocupação sobre esta matéria não é de agora. Já no âmbito da discussão do Plano e Orçamento para 2018 fizemos uma proposta no sentido de ser inscrito no plano 200 mil euros para a reabertura destas salas, proposta que foi chumbada pelo PS”, afirmou o deputado do PSD/Açores, Luís Maurício.

O parlamentar social-democrata falava numa conferência de imprensa em Ponta Delgada para a apresentação do projeto de resolução, justificando que o partido "volta à carga" com esta proposta, tendo em conta "a significativa crescente evolução" do número de pessoas em espera.

“A primeira razão é o número crescente de pessoas em espera e, em segundo lugar, o tempo de espera, porque no modelo anterior, quando estas salas de pequena cirurgia funcionavam, o tempo de espera eram 15 dias. Hoje, muitas destas pessoas esperam mais de três meses para tirarem um quisto. E esperam também por uma consulta de cirurgia para serem avaliadas”, sustentou Luís Maurício.

Segundo o PSD, "era bem mais eficaz" o modelo anterior, quando funcionavam salas de pequena cirurgia nos Centros de Saúde de Ponta Delgada e Ribeira Grande, o que "dava resposta aos doentes em 15 dias", criticando a opção encontrada pelo Governo, no final de 2012, quando “decidiu concentrar no Hospital de Ponta Delgada as pequenas cirurgias, o que se veio a mostrar contraproducente".

"Há uma evolução crescente do número de cidadãos em espera para uma pequena cirurgia no Hospital de Ponta Delgada. Em dezembro de 2017 eram 1.287. Em janeiro de 2018 eram 1.295 em fevereiro de 2018 eram 1.316. De abril a maio não temos dados, mas temos uma entrevista do presidente do conselho de administração do Hospital de Ponta Delgada ao jornal Açoriano Oriental, no passado dia 11, em que afirma que o número de cidadãos inscritos para a realização de uma pequena cirurgia em maio de 2018 eram 1.600", apontou.

Luís Maurício sublinhou que a abertura destas salas representa um "investimento irrelevante", já que será um "orçamento inicial na ordem dos 200 mil euros e o custo do funcionamento anual não ultrapassará os 25 a 30 mil euros".

O deputado sublinhou estar-se perante "um problema essencialmente da ilha de São Miguel", frisando que até à data de 30 de maio de 2018, e pelos dados da entrevista do presidente do conselho de administração do Hospital do Divino Espírito Santo, existiam "cerca de 9.000 doentes em espera por uma cirurgia programada e pequenas cirurgias".

"Esperamos que, com os dados transmitidos, consigamos convencer o grupo parlamentar do PS e o Governo a abrir estas salas", referiu ainda o deputado do PSD/Açores.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.