PSD/Açores quer interpelar Governo Regional sobre a seca no arquipélago

PSD/Açores quer interpelar Governo Regional sobre a seca no arquipélago

 

AO Online/ Lusa   Regional   8 de Set de 2018, 19:29

O PSD pediu este sábado o agendamento, na próxima sessão plenária da Assembleia Legislativa dos Açores, de uma interpelação ao Governo Regional sobre o impacto da seca e da gestão da água na agricultura no arquipélago.

O deputado social-democrata António Almeida, citado numa nota do partido, defendeu que a seca que afetou este ano o setor agrícola nos Açores “não pode ser encarada apenas como uma calamidade, mas sim como uma lição, cujas consequências importa assumir”.

Os prejuízos na agropecuária nos Açores, provocados pela seca, poderão ser já superiores a dez milhões de euros, segundo admitiu no dia 30 de agosto o presidente da Associação Agrícola da Ilha Terceira (AAIT), José António Azevedo.

“Estamos a falar de um valor em termos quantitativos superior a dez milhões de euros só na cultura do milho para a Região Autónoma dos Açores”, disse então aos jornalistas, à margem de uma reunião com o secretário regional da Agricultura e Florestas, João Ponte, em Angra do Heroísmo.

Para o deputado António Almeida, “reduzir os impactos da seca e da falta de água à atribuição de apoios ao rendimento dos agricultores significa gerir o dia-a-dia sem qualquer visão futura e estratégica”.

O parlamentar adiantou que o seu partido pretende interpelar o executivo açoriano sobre o exercício das suas competências nestas matérias, visando “apurar responsabilidades”, mas “principalmente criar as condições que salvaguardem os interesses económicos dos agricultores de forma consistente e permanente”.

“As condições climatéricas e a disponibilidade de água condicionam a atividade agrícola de forma determinante. Uma política agrícola responsável não pode ignorar esse facto e, nos Açores, as opções de investimento público não se traduziram em preocupações na gestão cuidada dos recursos hídricos”, disse.

No dia 30 de agosto, foi publicada uma nova portaria que atribui apoios à aquisição de mais 10 mil toneladas de alimento para o gado bovino, em seis cêntimos por quilograma nas ilhas Terceira e São Miguel e em 7,5 cêntimos nas restantes ilhas, depois de em julho terem sido abertas candidaturas a apoio num montante igual.

João Ponte, titular da pasta da Agricultura, admitiu um reforço de apoios, depois de feita uma nova avaliação dos prejuízos e da necessidade de alimento para o gado, em setembro.

Desde abril que os Açores registam uma quebra de precipitação, em comparação com os valores habituais.

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, entre maio e julho a ilha Terceira atingiu um grau de seca extrema, as ilhas de Santa Maria, São Miguel e Flores seca severa e a ilha do Faial seca moderada.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.