PS não quer mudar calendário, PSD tem razões para recear próximas legislativas


 

Lusa/AO Online   Nacional   5 de Dez de 2008, 09:06

O porta-voz do PS, Vitalino Canas, afirmou hoje à Lusa que os socialistas querem manter os calendários eleitorais pré-estabelecidos e que é o PSD que “tem razões para recear” as próximas eleições legislativas.
    Vitalino Canas comentava as declarações de quinta-feira de Pedro Santana Lopes, que se afirmou convicto de que o governo pretendia “esticar a corda” nas relações com o presidente da República com o objectivo de forçar a antecipação das legislativas, de modo a terem lugar antes das europeias.

    "Este calendário eleitoral não é nada cómodo para o primeiro-ministro: europeias primeiro, autárquicas misturadas com legislativas... acredito que haja uma tentativa, mais ou menos fundamentada, para o mudar. Acho que o partido deve estar preparado para isso", disse, numa evocação do aniversário da morte de Sá Carneiro realizada num hotel do Porto.

    Santana Lopes recordou que o mandato de José Sócrates completa quatro anos em Março de 2009 - não no Outono, para quando está prevista a realização de eleições legislativas - e considerou que o PS tem aproveitado o Estatuto dos Açores para "esticar a corda" nas relações com o Presidente da República.

    “Se há partido que nesta altura está preocupado com cenários eleitorais é o PSD. O PSD tem dificuldades no cenário que está pré-estabelecido das várias eleições (…) e dificuldades em qualquer outro cenário, porque o PSD não é nesta altura alternativa de governo, não tem programa alternativo e não tem sequer a possibilidade sequer de obter a confiança dos portugueses”, sublinhou Vitalino Canas.

    “O Partido Socialista é, além disso, um partido que preza a estabilidade política, a estabilidade governativa e a estabilidade dos calendários eleitorais”, acrescentou o porta-voz do PS.

    Pelo contrário, referiu, o PSD foi o “causador de crises políticas na Câmara de Lisboa, na Madeira”, pelo que os sociais-democratas não prezam esses valores de estabilidade.

    O Partido Socialista pretende manter os calendários eleitorais tal como estão pré-estabelecidos e não tem qualquer tipo de receio de ir às urnas, salientou.

    “O PS está confiante nas suas políticas, no seu programa, na forma como está a executar as políticas e a fazer as reformas, na forma como está a resolver os problemas das famílias e dos portugueses”, disse ainda.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.