PS diz ter orçamento 45 por cento inferior ao que apresentou nas regionais de 2008

PS diz ter orçamento 45 por cento inferior ao que apresentou nas regionais de 2008

 

Lusa/AO online   Regional   11 de Set de 2012, 13:40

O PS/Açores revelou hoje que o seu orçamento para a campanha eleitoral das eleições regionais de outubro é quase metade do que o que apresentou em 2008, porque "os tempos exigem contenção", rejeitando as acusações feitas pelos sociais-democratas

"A verdade é que o PS/Açores apresentou um orçamento mais de 45 por cento inferior ao de 2008, mantendo a mesma expetativa da eleição de 29 deputados, porque tem perfeita noção de que os tempos exigem contenção de gastos e, nesse sentido, encara esta campanha com grande responsabilidade e absoluto respeito pelos açorianos", afirmou o líder parlamentar socialista, Berto Messias, numa declaração à Lusa.

A posição do PS/Açores surge em resposta a declarações do líder parlamentar do PSD, Duarte Freitas, que acusou os socialistas de preverem “gastos superiores a todas as outras forças políticas”, considerando que essa situação representa “um ultraje à situação dos açorianos”.

Para os socialistas, o PSD/Açores tentou “lançar uma cortina de fumo para esconder a sua cumplicidade com o PSD de Pedro Passos Coelho, responsável pela maior austeridade e injustiça social de que há memória no país”.

“Num exercício de demagogia barata, o PSD/Açores ataca o PS de forma infundada, na tentativa de criar um caso de campanha e na esperança vã de que os açorianos esqueçam a cumplicidade entre Berta Cabral e Pedro Passos Coelho”, salientou Berto Messias.

A polémica relacionada com os orçamentos de campanha para as eleições regionais de 14 de outubro começou no sábado, quando a Lusa divulgou as estimativas de cada partido relativamente ao valor que esperam receber a título de subvenção estatal, que decorre dos deputados regionais que conseguirem eleger.

A previsão de eleição de deputados do PSD/Açores que se reflete na estimativa da subvenção estatal a receber pelo partido não permite uma maioria absoluta social-democrata na próxima legislatura, ao contrário do que sucede com o PS/Açores.

O montante da subvenção estatal estimado pelos sociais-democratas representa a eleição de 25 deputados, o que não garante uma maioria absoluta entre os 57 deputados da Assembleia Legislativa dos Açores, enquanto os socialistas estimam eleger 29, o que, caso se concretize, significaria uma nova maioria absoluta.

Nas declarações que prestou na segunda-feira à Lusa, o líder parlamentar do PSD/Açores, Duarte Freitas, afirmou que o orçamento do partido para as eleições regionais resulta de uma “estimativa técnica” feita com o pior resultado, considerando que isso revela uma “postura de precaução e não falta de convicção” na conquista da maioria dos deputados.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.