Festas do Espírito Santo

PS acusa Berta Cabral de "instrumentalizar" festas

PS acusa Berta Cabral de "instrumentalizar" festas

 

Olímpia Granada   Regional   29 de Jun de 2010, 10:47

Os vereadores socialistas na Câmara Municipal de Ponta Delgada consideraram segunda-feira, em reunião do executivo camarário, “ser insólito que a presidente Berta Cabral seja todos os anos o mordomo das Grandes Festas do Espírito Santo de Ponta Delgada.”
A posição foi segunda-feira tornada pública pelos vereadores Sónia Borges de Sousa, José San-Bento e Rita Dourado, através de comunicado, a que já não foi possível obter uma reacção.

Para eles, “as Grandes Festas do Espírito Santo de Ponta Delgada são uma iniciativa que se afirmou naturalmente e que hoje, apesar de surgirem fora de época, são uma atracção para milhares de pessoas”.

Mas independentemente desse reconhecimento, estes vereadores consideram que “o modelo de organização do evento deve ser alterado. Na actual configuração, a iniciativa está tutelada politicamente pela presidente da Câmara, que instrumentaliza as festividades para sua autopromoção coroando-se, ano após ano, mordomo das festas”.

 Com a intenção de “repor” o que dizem ser “o decoro institucional, despolitizar a iniciativa e afirmar a tradição do culto”, os vereadores eleitos pelo PS propuseram que “se altere a organização” de forma “a vedar por completo que qualquer eleito local possa ser indicado como mordomo das festividades, garantindo para esse efeito que em cada ano seja indicado um mordomo de uma freguesia diferente, ligado a um império da sua localidade”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.