Proposta de POSEI 2019 é um bom incentivo ao crescimento da produção de meloa em Santa Maria

Proposta de POSEI 2019 é um bom incentivo ao crescimento da produção de meloa em Santa Maria

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   28 de Ago de 2018, 11:39

O secretário regional da Agricultura e Florestas disse esta terça-feira que a proposta do POSEI para 2019 enviada à Comissão Europeia introduz uma majoração de 10% na ajuda às produções hortofrutícolas aprovadas como Identificação Geográfica Protegida (IGP) e mantém a isenção do rateio à meloa de Santa Maria, considerando que estas medidas são bons incentivos para atrair novos produtores e para aumentar a área de produção.

João Ponte que visitou uma exploração agrícola de um dos maiores produtores de meloa em Santa Maria, afirmou na ocasião, citado em nota do Gacs, que "estas medidas são incentivos importantes para que, no futuro, particularmente no caso de Santa Maria, haja condições objetivas para um aumento de área de produção de meloa, aproveitando o potencial que existe nesta ilha para este tipo de cultura”, dando como exemplo, que" a isenção do rateio para os produtores de meloa IGP no POSEI 2019 vai levar a que o valor da ajuda por hectares apresente, em relação a 2017, um aumento superior a 20%".


Para o Governo dos Açores, o POSEI continua a ser um “instrumento estratégico para assegurar um crescimento sustentável” nas áreas da horticultura, da floricultura, da fruticultura e da vitivinicultura.


“Ano após ano, temos aperfeiçoado o POSEI com a introdução de novas medidas que visam aumentar as produções, sem esquecer a área da diversificação agrícola”, disse João Ponte, acrescentando que, nos últimos dois anos, a área da diversificação agrícola cresceu 25% nos Açores, representando mais 700 hectares.


O titular da pasta destacou ainda que, apesar de se ter verificados nos últimos anos um acréscimo na área afeta à produção de meloa IGP em Santa Maria, passando de cinco para sete hectares, este ano, devido à seca, a produção poderá diminuir, com impacto muito significativo na redução do calibre da meloa.


“A expetativa seria aumentar a produção de 54 toneladas atingidas em 2017, mas a seca está a condicionar a produção este ano”, disse João Ponte.


Apesar de estarem em causa pequenas áreas, João Ponte salientou que a adesão dos agricultores à produção de meloa e o trabalho feito pelo Associação Agrícola e pela Cooperativa AGROMARIENSECOOP no sentido de valorizar a meloa de Santa Maria tem contribuído para uma maior rentabilidade e rendimento dos produtores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.