Promoção da cultura é a grande novidade da BTL de 2019

Promoção da cultura é a grande novidade da BTL de 2019

 

Lusa/AO Online   Economia   28 de Fev de 2019, 15:40

O espaço que promove a cultura é a “grande novidade” da edição de 2019 da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), revelou, esta quinta-feira, a diretora do evento, que prevê receber “cerca de 70 mil visitantes”.

“A grande novidade deste ano é a BTL cultural. Tem sido um grande desafio nos últimos anos e finalmente concretiza-se. O objetivo é dar espaço a todas as entidades que, em Portugal, promovem a cultura, desde os museus aos espetáculos”, revelou Fátima Vila Maior.

A diretora do evento falava na apresentação da 31.ª edição da BTL, que decorreu, esta quinta-feira na Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, no Seixal, distrito de Setúbal, onde realçou que grande parte do turismo “se deve a questões culturais”.

“Quando visitamos uma capital europeia, por exemplo, as nossas motivações também têm a ver com o património, com o que existe em termos culturais na região”, explicou.

A BTL cultural vai localizar-se no pavilhão dois, resulta de uma parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian e conta com a participação de outras organizações culturais, como a Fundação Serralves, o MAAT, a Fundação Berardo e o Centro Cultural de Belém.

Segundo Fátima Vila Maior, outra das novidades é a abertura de quatro pavilhões, em vez de três, os quais estão “completamente cheios”.

“Nesta altura ainda não podemos dizer, mas quase que acreditaria que vai ser a maior BTL de sempre”, afirmou.

Aliás, a diretora espera que a feira receba “cerca de 70 mil visitantes”, entre os quais profissionais do setor e pessoas que visitem a feira no fim de semana à procura de “viagens acessíveis”.

O pavilhão um abre com Lisboa, o destino nacional convidado na edição de 2019, e conta com as restantes regiões de Portugal (Alentejo, Algarve, Norte, Centro, Açores e Madeira), o que permite que os visitantes fiquem a “conhecer o país e as suas experiências”.

Já a entrada do pavilhão dois está reservada para o Seixal, o município convidado deste ano, o qual tem procurado desenvolver a vertente turística, promovendo a baía integrada no estuário do Tejo e a extensa frente ribeirinha.

Ainda neste pavilhão, além da BTL cultural e dos outros municípios, estará também localizada a animação turística e a gastronomia, que será “mais pequena” do que nos anos anteriores, mas conta com cinco restaurantes de várias regiões do país e seis tasquinhas, segundo Fátima Vila Maior.

De acordo com a diretora, entre 13 e 14 de março volta a decorrer o programa de ‘hosted buyers, “que tem trazido à BTL cerca de 200 a 300 ‘tours’ operadores internacionais” para conhecer a oferta do país, e, no fim de semana, entre 15 e 17 de março, terá a bolsa da empregabilidade, “com mais de dez mil ofertas de emprego na área do turismo”.

Já no pavilhão três vai estar localizada a BTL LAB, que representa a inovação no turismo e dá a conhecer 40 ‘startups’, e uma zona dedicada ao enoturismo, afirmando como Portugal “é cada vez mais um país de vinhos”.

No pavilhão quatro encontram-se as agências de viagens e destinos internacionais, destacando-se a novidade Goa, na Índia.

A edição de 2019 decorrerá entre 13 e 17 de março, na Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.