Açoriano Oriental
Programa Sê-lo 2019 do Ministério do Ambiente alarga apoio às corridas

O Programa Sê-lo Verde Fundo Ambiental vai apoiar com 600 mil euros 40 contratos e 88 medidas, apresentando como novidade em 2019 o alargamento a uma meia maratona e duas corridas, foi anunciado esta sexta feira, no Porto.


Foto:
Autor: AO Online/ Lusa

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, Pedro Matos Fernandes, falou à Lusa de um programa que em 2019 recebeu “candidaturas de 52 contratos e 181 medidas” e que desde “2017 permitiu uma diminuição de 835 toneladas nas emissões de dióxido de carbono”.

Vincando o facto de o Sê-lo Verde integrar a “estratégia nacional para a educação ambiental”, o ministro estima que no âmbito dos eventos que apoiarão em 2019 farão “chegar a mensagem a cerca de dois milhões de pessoas”.

Apresentado na sua página da internet como “tendo em vista incentivar a adoção de boas práticas ambientais, inovadoras e com impacte ambiental, social e económico nos grandes eventos, através do financiamento de medidas verdes a adotar nesses eventos” o programa tem como principais objetivos “valorizar e promover a vertente ambiental do evento, junto do público nacional e internacional, pelos promotores, marcas e instituições públicas associadas”.

“Depois de em 2017 ter sido só para festivais, em 2018 houve a primeira abertura, contemplando, por exemplo, a Semana Académica do Porto, 2019 abre ainda mais a eventos de massas, apoiando três corridas que querem ter o selo verde”, revelou o governante.

De um apoio direcionado a dois tipos de eventos de massas, “os que têm menos e mais de 15 mil participantes”, Pedro Matos Fernandes afirmou-se convicto de que “cada vez mais as más imagens dos festivais de verão são condenadas por toda a gente quando aparece lixo ou copos de plástico no chão”.

Descrevendo a evolução do programa, o governante disse que este inicialmente “pagou todo o tipo de medidas que tinham mais-valias ambientais no domínio da energia, educação ambiental, redução de recursos e de emissões”.

“No ano passado [2018] já fomos mais exigentes, havendo coisas que passaram a ser básicas e que deixaram de ser financiadas. E dou dois exemplos: tinha de haver água da torneira à disposição das pessoas e deixámos de pagar os copos descartáveis”.

E prosseguiu: “este ano não aumentamos as exigências, mas sim o leque e apareceram mais candidaturas. Vamos comparticipar 88 medidas, que correspondem a 40 eventos diferentes, dos quais 28 são de menor dimensão e 12 de maior dimensão”.

Passando de um financiamento de 500 mil euros para os 600 mil em 2018, o valor manteve-se em 2019, explicando o ministro que “nenhuma medida é comparticipada a 100%, recaindo uma parte para as organizações que promovem os acontecimentos”.

Reconhecendo que este esforço não se faz sem deixar “uma pegada ecológica”, Pedro Matos Fernandes realça, ainda assim, “ser esta uma forma muito interessante e relevante de divulgar a mensagem”.

Entre os eventos apoiados em 2019 figuram a Meia Maratona do Porto, o Mercado Quinhentista, no Machico (ilha da Madeira), o festival Marés Vivas, em Vila Nova de Gaia, e as Festas da Madalena, na ilha do Pico (Açores).


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.