Prejuízos da Lotaçor em 2012 influenciados por mau desempenho de outras empresas

Prejuízos da Lotaçor em 2012 influenciados por mau desempenho de outras empresas

 

Lusa/AO Online   Regional   30 de Out de 2013, 12:50

A Lotaçor, a empresa de lotas dos Açores, terminou as contas de 2012 com um resultado negativo superior a 2,5 milhões de euros influenciado pelo mau desempenho financeiro de outras empresas do setor público regional.

De acordo com o relatório de contas de 2012 da empresa, a que a Lusa teve acesso, a Lotaçor apresentou prejuízo, em parte, devido às dívidas da fábrica de conservas de Santa Catarina e da empresa Espada Pescas.

O relatório indica que só a fábrica de Santa Catarina devia, a 31 de dezembro de 2012, quase 11 milhões de euros à Lotaçor, situação que mereceu uma "chamada de atenção" por parte do revisor oficial de contas.

A Lotaçor reduziu, ainda assim, as suas despesas de funcionamento, em comparação com o ano anterior, mas não conseguiu evitar prejuízo, num ano em que o seu capital social foi reforçado em 500 mil euros e foram renegociados vários empréstimos bancários.

Por outro lado, o passivo da empresa diminui, de 2011 para 2012, em cerca de 10%, apresentando um montante global de dívidas superior a 30 milhões de euros no final do ano passado.

Entretanto, o Governo Regional dos Açores assinou, em fevereiro deste ano, um acordo para saldar as dívidas que a fábrica de Santa Catarina tem para com a Lotaçor, e que implica o pagamento de cerca de 1 milhão de euros por ano, até 2022. O acordo determina que a Região assumirá esses encargos financeiros sempre que a fábrica de Santa Catarina não tiver capacidade de liquidar as prestações.

A administração da Lotaçor admite, no seu relatório, que a fábrica de conservas apresenta uma "situação financeira desequilibrada", e que não é capaz de gerar resultados operacionais positivos.

Ainda assim, os gestores da empresa de lotas entenderam que não é necessário a constituição de qualquer provisão para reconhecimento de perdas futuras, porque estão confiantes de que o Governo Regional, o acionista maioritário, garantirá direta ou indiretamente, a cobertura de todos aos prejuízos. O Governo dos Açores decidiu adquirir a fábrica de conservas Santa Catarina em 2008, quando a empresa da ilha de S. Jorge estava em risco de fechar.

Num comunicado divulgado a 18 de outubro, o Governo Regional revelou que o conjunto do setor empresarial público regional (que abrange mais de vinte empresas) teve prejuízos de 57 milhões de euros em 2012, menos do que no ano anterior, traduzindo-se "numa melhoria de 25% em relação a 2011".

Tiveram prejuízos os hospitais da região, a Portos dos Açores, a Lotaçor, a empresa de conservas Santa Catarina e a SINAGA.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.