Poucos líderes mundiais nas cerimónias fúnebres do Presidente Polaco


 

Lusa/AO Online   Internacional   18 de Abr de 2010, 16:06

As cerimónias fúnebres do Presidente polaco, Lech Kaczynski, e da sua mulher começaram hoje em Cracóvia perante dezenas de milhar de cidadãos e um reduzido grupo de líderes político que conseguiram escapar ao encerramento do espaço aéreo em muitos países europeus.

A missa fúnebre na Basílica de Santa Maria foi conduzida pelo cardeal de Cracóvia e pelo presidente da Conferência Episcopal polaca e pôde ser seguida, através de ecrãs, pela multidão que encheu a Praça Maior de Cracóvia.

Além da única filha do casal presidencial, do irmão gémeo do Presidente e do primeiro ministro Donald Tusk, está presente o Presidente Russo, Dimitri Medvedev, um dos poucos líderes mundiais que viajou para Cracóvia.

Nas cerimónias fúnebres encontram-se também os presidentes da Alemanha, Ucrânia e República Checa, assim como o presidente do Parlamento Europeu, o polaco Jerzy Buzek.

A presidente da Lituânia e o primeiro ministro marroquino conseguiram também marcar presença.

Das 98 delegações oficiais que haviam anunciado a sua presença no funeral, apenas 18 países conseguiram enviar os seus altos representantes, devido à nuvem de cinzas vulcânicas oriunda da Islândia que bloqueou o espaço aéreo europeu.

De acordo com a polícia local, mais de 900 mil pessoas concentraram-se junto à Basílica de Santa Maria para prestarem a sua homenagem ao casal presidencial, que morreu num acidente de avião, juntamente com uma comitiva de empresários que os acompanhava.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.