Internet

Portugueses navegam sobretudo em busca de informações sobre Saúde


 

Lusa/AOonline   Nacional   2 de Dez de 2008, 11:25

Os portugueses que acedem à Internet a nível particular fazem-no sobretudo em busca de informação sobre saúde, sendo dos europeus que menos utilizam os serviços bancários em linha, revela um estudo divulgado pela Comissão Europeia.
O estudo do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, Eurostat, revela que no primeiro trimestre de 2008 quase metade dos lares em Portugal tinha acesso à Internet (46 por cento, contra 40 por cento em 2007 e 35 por cento em 2006), um valor ainda assim aquém da média comunitária, de 60 por cento.

    A análise das actividades efectuadas na Internet com fins privados demonstra que 22 por cento dos utilizadores portugueses procuram informações sobre saúde, sendo o segundo tópico de maior interesse a consulta de edições "on line" de jornais e revistas (20 por cento), seguindo-se contactos com administrações públicas (18 por cento).

    Apenas 14 por cento dos "internautas" portugueses recorrem à "net" para realizar operações bancárias "on-line", contrariando a tendência na UE, onde esta é a segunda actividade mais comum entre os utilizadores de Internet com fins privados (32 por cento).

    O estudo revela que os portugueses também não são particularmente adeptos do recurso à Internet para marcar viagens e alojamento, sendo a percentagem de portugueses que o fazem (12 por cento) das mais baixas da UE a 27, onde a média é de 32 por cento.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.