Objectivos do Milénio

Portugueses apoiam ajuda ao desenvolvimento mas poucos contribuem

Portugueses apoiam ajuda ao desenvolvimento mas poucos contribuem

 

Lusa/AO online   Nacional   13 de Set de 2010, 15:17

Os portugueses são na sua grande maioria favoráveis à ajuda ao desenvolvimento, com 9 em cada 10 a considerarem-na importante, mas são poucos, apenas um em cada 10, aqueles que contribuem, revela um inquérito divulgado esta segunda-feira pela Comissão Europeia.
Apresentado esta segunda-feira em Bruxelas, em vésperas da conferência das Nações Unidas sobre os Objectivos do Milénio (20 a 22 de Setembro), o “Eurobarómetro” sobre a atitude dos europeus face à ajuda ao desenvolvimento revela que, apesar da crise, uma esmagadora maioria dos europeus (89 por cento) consideram-na importante, sendo esse valor ainda mais elevado em Portugal (92 por cento).

No entanto, quando questionados sobre as suas posições individuais face à ajuda aos países em vias de desenvolvimento, apenas 11 por cento dos portugueses admitem contribuir com dinheiro para essa ajuda, um valor muito abaixo dos 26 por cento de média da UE.

Por outro lado, os portugueses são pouco adeptos de um aumento da ajuda, com apenas 48 por cento a defenderem que a UE deve manter a promessa de aumentar o nível de ajuda ao desenvolvimento mesmo no actual cenário de crise económica, sendo Portugal um dos seis países da União – “todos eles afectados por uma grave recessão”, comenta o relatório - em que pelo menos um terço dos inquiridos defende que a ajuda devia ser reduzida ou limitada.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.