Incêndios Grécia

Portugal não vai ajudar porque não foi confirmado pedido de ajuda, diz governo

Portugal não vai ajudar porque não foi confirmado pedido de ajuda, diz governo

 

Lusa/Ao online   Internacional   29 de Jul de 2018, 13:12

O secretário de Estado da Proteção Civil disse este domingo que os 50 elementos da Força Especial de Bombeiros (FEB) não vão combater incêndios florestais na Grécia, porque o Governo daquele país não confirmou o pedido de ajuda.

"Na Grécia, como se sabe, a situação alterou-se, houve chuvas, e o Governo grego não ativou o pedido que antes tinha feito. Daí que não tenham sido acionados os meios", disse hoje José Artur Neves.

O governante falava aos jornalistas na fronteira de Vilar Formoso, Almeida, no distrito da Guarda, à margem da 16.ª edição da campanha de sensibilização rodoviária "Sécur'Eté 2018: Verão em Portugal", promovida pela associação de jovens lusodescendentes Cap Magellan e que é destinada aos emigrantes que se deslocam de carro a Portugal durante as férias de verão.

Segundo o secretário de Estado da Proteção Civil, houve a disponibilidade do Governo em enviar meios para a Grécia e "logisticamente tudo estava preparado" para a ajuda "avançar no prazo máximo de 24 horas".

"O Governo grego não confirmou esse pedido de ajuda que tinha feito e, portanto, não foram, naturalmente os nossos agentes de proteção civil para a Grécia", explicou.

José Artur Neves disse ainda que o que se passou para ajudar a Suécia "foi exatamente nos mesmos moldes".

Portugal disponibilizou para a Suécia dois aviões médios anfíbios e como o Governo sueco ativou essa disponibilidade, os aparelhos "seguiram de imediato".

No caso da Grécia, reafirmou que o Governo grego solicitou ajuda através do Mecanismo Europeu de Proteção Civil e Portugal "disponibilizou essa ajuda", mas não foi confirmada, daí os meios "não terem seguido" para aquele país.

Fonte oficial do Ministério da Administração Interna avançou à Lusa que, na sexta-feira, o Mecanismo Europeu de Proteção Civil informou Portugal de que a Grécia dispensa a ajuda dos meios portugueses, tendo em conta que já não é necessária mais assistência.

Na terça-feira, o ministro Eduardo Cabrita anunciou o envio por parte de Portugal de 50 elementos da FEB para ajudar a combater os incêndios na Grécia, dando resposta a um pedido feito através do Mecanismo Europeu de Proteção Civil.

Na altura, Eduardo Cabrita adiantou que estes 50 elementos da FEB iriam partir para a Grécia até quarta-feira, depois de tratadas as questões logísticas.

A agência de notícias Efe avança também que os dois aviões Canadair enviados pelo Governo espanhol na terça-feira para a Grécia regressaram hoje a Espanha, depois de a Grécia ter desativado o pedido de apoio feito ao Mecanismo Europeu de Proteção Civil.

Os incêndios que assolaram a costa de Atenas, na Grécia, na segunda-feira, provocaram 88 mortos e mais de 3.500 casas destruídas, tendo o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, assumido "a responsabilidade política pela tragédia".

O Governo de Alexis Tsipras pediu ajuda internacional na noite de segunda-feira, tendo alguns países respondido com meios de apoio, que neste momento já não são necessários.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.