Portugal-Egito: Lusos tentam reforçar supremacia no historial direto

Portugal-Egito: Lusos tentam reforçar supremacia no historial direto

 

Lusa/AO online   Futebol   21 de Mar de 2018, 09:36

A seleção portuguesa de futebol defronta na sexta-feira o Egito, em Zurique, Suíça, em jogo de preparação para o Mundial2018 da Rússia, com um historial de dois triunfos lusos em jogos ‘amigáveis’ e derrota quando foi a sério.

A formação africana, atual 44.ª do ranking da FIFA, no qual Portugal continua a ser terceiro, venceu o embate inaugural entre ambos, nos Jogos Olímpicos de Amesterdão, impondo-se, por 2-1, em 04 de junho de 1928.

Portugal ‘vingou-se’ 27 anos depois com goleada 4-0, em 23 de dezembro de 1955, num particular realizado no Estádio Municipal do Cairo, reforçando a sua supremacia em 17 de agosto de 2005, com 2-0 em Ponta Delgada, nos Açores, em jogo também a ‘feijões’.

No primeiro ‘duelo’, de acesso às meias-finais olímpicas, Portugal, que vinha de dois êxitos na prova (4-2 ao Chile e 2-1 à Jugoslávia), caiu com tentos de Mamaduh Mikitar e Ridd, de nada lhe valendo o golo de Vítor Silva, apontado aos 76 minutos.

Nesse encontro, a seleção lusa atuou em ‘2-3-5’, com Carlos Alves e Jorge Vieira à frente de Roquete, Raul de Figueiredo, Augusto Silva e César de Matos no meio-campo e um ataque com Valdemar, Pepe, Vítor Silva, Armando Martins e José Manuel Martins.

Foi o 18.º encontro da história da seleção nacional, que só voltou a defrontar os egípcios quase 30 anos volvidos (85º jogo), num teste para jogos de apuramento para o Mundial2006, que Portugal ganhou sem dificuldades, com 'bis' de José Águas (Benfica) e Matateu (Belenenses).

De início, o 'onze’ luso apresentou Costa Pereira na baliza, Virgílio e Emídio Graça na defesa, Caiado, Passos - substituído por Ângelo, ao intervalo - e Pedroto a meio-campo e um quinteto na frente (Matateu, Germano, José Águas, Travaços e Martins).

A terceira partida, em São Miguel, foi sentenciada com golos na segunda parte do defesa Fernando Meira e do ponta de lança Hélder Postiga, numa equipa em que atuaram, na segunda parte, o médio João Moutinho, que se estreava como internacional ‘A’, e o extremo Ricardo Quaresma, ambos convocados por Fernando Santos para o desafio de sexta-feira.

Na equipa inicial, o guarda-redes Quim jogou atrás dos defesas Alex, Ricardo Carvalho, Jorge Andrade e Paulo Ferreira, sendo o ‘miolo’ entregue a Petit, Tiago e Hugo Viana, enquanto Figo, Hélder Postiga e Pauleta, que alinhava em casa, foram os jogadores mais avançados.

Na sexta-feira está marcado o quarto encontro entre as duas seleções, às 19:45, no Estádio Letzigrund, em Zurique, três dias antes de os lusos defrontarem a Holanda, em novo particular, em Genebra.

Depois destes dois encontros, Portugal já tem agendados mais três, em 28 de maio, com a Tunísia, em Braga, em 02 de junho, na Bélgica, e em 07 de junho, com a Argélia, em solo luso.

Em 09 de junho, a comitiva lusa parte para a Rússia, onde se estreia no Mundial2018 em 15 de junho, frente à Espanha. No dia 20, mede forças com Marrocos e no dia 25 com o Irão, de Carlos Queiroz, em encontros do grupo B.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.