Portugal com "pé" nas meias-finais

Portugal com "pé" nas meias-finais

 

Lusa/AO   Outras modalidades   18 de Nov de 2007, 18:16

Portugal obteve hoje um difícil triunfo sobre a República Checa, por 5-3, em jogo da segunda jornada da Grupo A do Campeonato da Europa de futsal, disputado no Pavilhão Multiusos de Gondomar
Portugal, com uma segunda parte de grande nível, obteve hoje um difícil triunfo por 5-3 sobre a República Checa, na segunda jornada do Grupo A do Campeonato da Europa de futsal, em Gondomar.
Com este triunfo, que afasta os checos da fase seguinte, a selecção lusa iguala a Itália na liderança do grupo, com quatro pontos nos dois jogos realizados, e deixa em aberto a passagem às meias-finais.
O primeiro golo da República Checa, marcado por Roman Mares logo no primeiro minuto de jogo, provocou alguma intranquilidade na selecção portuguesa, traduzida em perdas de bola e desacerto defensivo.
Mais rematador, embora quase sempre sem perigo, Portugal conseguiu empatar por Ricardinho, aos sete minutos, que, depois do 0-0 frente à Itália, foi o autor do primeiro golo luso no Europeu.
Com um ou dois remates por minuto, Portugal acabou por sucumbir à maior eficácia dos checos, que voltaram a marcar por David Fric, aos nove minutos, e Roman Mares, aos 12, em lances de contra-ataque.
Tirando partido do desacerto luso, a Republica Checa esteve perto de aumentar a vantagem aos 13 minutos, mas o remate cruzado de Roman Mares acertou no poste esquerdo da baliza do guarda-redes João Benedito.
Joel, Ricardinho e Arnaldo Pereira, criando várias situações de perigo, anunciaram o golo que chegou por Gonçalo Alves aos 15 minutos, num lance em que este fez tudo sozinho e rematou por uma brecha na "muralha" checa.
João Benedito esteve em evidência aos 17 minutos, ao negar o golo a Roman Mares, num contra-ataque em que o checo surgiu isolado, deixando no ar uma vez mais a fragilidade defensiva e desacerto da selecção lusa.
Ainda antes do intervalo, Portugal chegou ao empate com um bonito golo de Arnaldo Pereira, aos 19 minutos, através de um remate sem deixar a bola cair, que surpreendeu o guarda-redes Tomas Meller.
Portugal entrou melhor na segunda parte e colocou-se em vantagem com um golo de Marcelinho, aos 28 minutos, na conversão de um livre directo que contou com a colaboração do mal batido guarda-redes Tomas Meller.
Arnaldo Pereira, aos 29 minutos, Ricardinho, aos 30, e Leitão, aos 33, 34 e 35, procuraram sem êxito aumentar a vantagem, enquanto no outro lado do recinto o guarda-redes João Benedito, com duas defesas, impediu o empate.
A selecção portuguesa aumentou a diferença por Formiga, aos 35 minutos, com um golo que surgiu de uma jogada de entendimento com Leitão, que teve o condão de tranquilizar a equipa lusa até ao apito final.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.