Portos dos Açores preveem mais de 145 ME em investimentos neste triénio

Portos dos Açores preveem mais de 145 ME em investimentos neste triénio

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Out de 2018, 06:17

O presidente indigitado da Portos dos Açores afirmou no parlamento açoriano que a situação financeira daquela empresa pública "é muito equilibrada", assegurando até este triénio investimentos superiores a 145 milhões de euros nos portos comerciais da região.

“Em termos de capitais próprios positivos é muito equilibrada a posição financeira da empresa e isso também é uma garantia de continuidade daqueles que são os projetos essenciais para as condições de operacionalidade e segurança dos portos”, disse Miguel Costa, em declarações aos jornalistas, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

Miguel Costa, que ainda não tomou posse no cargo, falava à margem da Comissão Permanente de Economia, onde foi ouvido.

Em setembro, o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, renovou a equipa de diretores regionais nas áreas da Solidariedade Social, da Educação, da Cultura, da Saúde, do Turismo e do Desenvolvimento Rural.

Essas alterações abrangeram também o cargo de presidente do Conselho de Administração da Portos dos Açores, que será assumido por Miguel Costa, que desempenhou, entre outras, funções de diretor regional dos Equipamentos e Transportes Terrestres e de deputado regional pelo PS e presidente da Comissão Parlamentar de Economia.

Foi também abrangida a presidência do conselho de administração do Hospital de Santo Espírito da Terceira.

Ao abrigo da legislação em vigor, a escolha dos novos presidentes dos conselhos de administração da Portos dos Açores e da Hospital Santo Espírito da Ilha Terceira é comunicada à Assembleia Legislativa para efeitos de audição parlamentar.

Em sede de audição parlamentar, Miguel Costa adiantou que a empresa pública que gere os portos dos Açores "tem capitais próprios positivos superiores a 245 milhões de euros", segundo as contas de 2017.

"Os capitais próprios positivos são muito consideráveis e a gestão financeira que foi feita da empresa até aqui foi equilibrada", sublinhou, explicando que a dívida tem refletido "obrigatoriamente aquilo que são os grandes investimentos necessários realizados em todas as ilhas".

Miguel Costa reforçou ainda que a Portos dos Açores é uma empresa "estratégica", destacando a importância para "a coesão regional", visando "garantir maiores e melhores níveis de operacionalidade" dos portos comerciais com vista a um transporte marítimo de "qualidade, com segurança e uma operação portuária de excelência e com eficiência".

Segundo explicou, o volume de investimento previsto para este triénio (2018 a 2020) "é de 145 milhões de euros para obras em todos os portos comerciais dos Açores".

Miguel Costa referiu, por exemplo, as obras no porto mais movimentado do arquipélago, o de Ponta Delgada (São Miguel), o da Horta (Faial), o das Pipas (Terceira) e da Praia da Vitória (Terceira), assinalando também as obras em curso no porto das Velas (São Jorge), da Casa (Corvo) e das Flores (Flores).

“Há um conjunto de obras que foram identificadas pela anterior administração e que terão a sua continuidade e o empenho desta administração para a melhoria da operacionalidade em todos os portos”, sustentou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.