Porto de Ponta Delgada vai ser alvo de obras no valor de 32ME

Porto de Ponta Delgada vai ser alvo de obras no valor de 32ME

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Out de 2018, 09:15

O porto de Ponta Delgada vai ser alvo de uma empreitada orçada em 32 milhões de euros que visa “melhorar a operação” da infraestrutura, responsável por 64% do movimento comercial dos Açores, anunciou o Governo Regional.

A revelação foi feita pela secretária regional dos Transportes e Obras Públicas na reunião da comissão eventual de inquérito ao setor público empresarial regional e associações sem fins lucrativos públicas, referindo que a obra pretende dar resposta ao que se prevê que seja o crescimento daquele porto no universo temporal de 10 a 15 anos.

Ana Cunha declarou que vai ser enviado esta quarta-feira para publicação no Diário da República o anúncio da abertura de concurso de perfilhamento do cais e de repavimentação do terrapleno portuário, obra que vai permitir a operação de contentores em linha.

A área de terrapleno para contentores de 20 e 40 pés vai “aumentar significativamente”, sendo que no caso dos contentores de 40 pés a capacidade aumenta de 224 lugares para 540.

Considerando esta uma obra de “importância crucial” para aquela infraestrutura, a titular da pasta dos Transportes disse ainda que se vai proceder à renovação dos equipamentos móveis do porto, de forma faseada, visando três empilhadoras numa primeira fase, no valor de 1,5 milhões de euros.

Ana Cunha disse que o porto de Ponta Delgada registou 1,5 milhões de toneladas de mercadorias movimentadas em 2017, valor que se vai voltar a verificar em 2018, o que significa 64% do volume regional de mercadorias.

A secretária regional dos Transportes afirmou ainda que o navio de 40 metros que vai substituir o “Mestre Simão”, da empresa pública Atlânticoline, que encalhou na Madalena do Pico, já está em fase de construção.

O navio de maior dimensão para a mesma operadora marítima registou, no âmbito do concurso público lançado, três concorrentes qualificados, e que apresentaram propostas, estando estas a serem analisadas, estimando o Governo dos Açores que esteja operacional em 2020/2021, segundo a governante.

Três candidatos foram admitidos ao concurso público para a construção de um navio de passageiros para os Açores, que terá capacidade para 650 passageiros e 150 viaturas, sendo eles a ASTILLEROS ARMON, S.A., HIJOS DE J. BARRERAS, e o agrupamento AMEDEO RESOURCES PLC e TAIZHOU KOUAN SHIPBUILDING CO, LTD.

O Governo dos Açores anunciou em novembro de 2013 que iria encomendar a construção de dois novos barcos para transporte de passageiros e viaturas entre as ilhas do arquipélago.

Em outubro do ano passado, o executivo autorizou o lançamento do concurso para a conceção e construção de um dos navios, com capacidade para 650 passageiros, com preço-base de 48 milhões de euros.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.