PM irlandês «optimista» sobre o "não" dado ao Tratado de Lisboa


 

Lusa/AO Online   Internacional   5 de Dez de 2008, 14:59

O primeiro-ministro irlandês, Brian Cowen, afirmou hoje estar "optimista" sobre uma solução a dar ao "chumbo" do Tratado de Lisboa em referendo popular no seu país.

  Falando à saída de um encontro com Nicolas Sarkozy, chefe de Estado da França, que preside até ao fim do ano à União Europeia (UE), Cowen manifestou “esperança” em que o problema seja ultrapassado na próxima semana, quando se reunir o Conselho Europeu.

    “Devo avaliar os interesses nacionais irlandeses e pesar as obrigações europeias do país” explicou o líder do executivo de Dublin, que espera desenvolvimentos nas conversações conducentes a uma saída aceitável para os 27.

    Mas “nenhuma decisão foi ainda tomada”, sublinhou, a poucos dias da cimeira dos dias 11 e 12 em Bruxelas.

    A Irlanda é o único dos 27 que teve de referendar o Tratado de Lisboa, “chumbado” por 53,4 por cento dos votos a 12 de Junho.

    A câmara baixa do parlamento checo também tem pendente a votação do texto, que só vigorará havendo unanimidade entre os membros da UE.

    Por outro lado, o comissário europeu para o Mercado Interno, o também irlandês Charlie McCreevy, exigiu “respeito” pela decisão tomada no referendo numa entrevista publicada hoje pela revista Hot Press.

    A maioria dos 27 aposta na realização de um novo referendo na Irlanda - um imperativo constitucional - para ver se passa o Tratado de Lisboa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.