Paris acusa Moscovo de tentar espiar satélite franco-italiano em 2017


 

AO Online/ Lusa   Internacional   8 de Set de 2018, 01:37

Um satélite russo tentou intercetar em 2017 as transmissões de um satélite franco-italiano que permite comunicações militares seguras, denunciou hoje a ministra da Defesa francesa, Florence Parly, durante uma intervenção dedicada ao setor espacial.

“Quando o satélite Athena-Fidus fazia tranquilamente a sua rotação por cima da Terra, um satélite aproximou-se dele, aproximou-se um pouco de mais”, contou a ministra durante uma visita ao Centro nacional de estudos espaciais em Toulouse (sudoeste de França).

“Aproximou-se tanto que poderíamos ter pensado que tentava captar as nossas comunicações”, prosseguiu a representante, acrescentando que “tentar ouvir os vizinhos não é apenas hostil. Chama-se um ato de espionagem”.

Na intervenção em Toulouse, a ministra francesa identificou o satélite em questão e apontou acusações de tentativa de espionagem a Moscovo.

“O satélite (…) chama-se Louch-Olymp, é um satélite russo bem conhecido, mas um pouco ... indiscreto”, referiu a ministra, garantindo que foram tomadas medidas apropriadas e que as autoridades francesas monitorizaram as manobras do satélite russo.

Recentemente, os Estados Unidos, que anunciaram este verão a criação de uma Força Espacial até 2020, também denunciaram “um comportamento muito anormal” de um “objeto espacial” operado pela Rússia em outubro de 2017.

O Presidente de França, Emmanuel Macron, anunciou a intenção de definir no próximo ano “uma estratégia espacial de defesa”.

Um grupo de trabalho do Ministério da Defesa francês deve apresentar propostas sobre este dossiê até ao próximo mês de novembro.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.