Parceiros sociais pedem mais do Orçamento dos Açores, executivo realça "rigor"

Parceiros sociais pedem mais do Orçamento dos Açores, executivo realça "rigor"

 

Lusa/Ao online   Regional   29 de Set de 2018, 10:18

Os parceiros sociais nos Açores uniram-se hoje no pedido de maior dotação orçamental para o próximo ano, mas o Governo Regional vinca que o Plano de Investimentos e o Orçamento seguem a linha de "rigor" dos anos recentes.

"Faz parte da função dos parceiros sociais dizerem sempre que os aumentos que têm são pouco para o que desejam. Faz parte deste tipo de relacionamento", vincou o vice-presidente do Governo dos Açores, Sérgio Ávila, falando em Ponta Delgada, no final de uma reunião do Conselho Regional de Concertação Estratégica.

O encontro, dedicado ao Plano de Investimentos para 2019, revelado parcialmente na quinta-feira, juntou executivo e parceiros sociais.

Para Sérgio Ávila, o objetivo para 2019 é "assegurar que os aumentos de rendimentos para as famílias" não afetam o investimento público.

"Vamos conseguir conciliar os aumentos de encargos decorrentes do reforço do rendimento dos trabalhadores com o aumento do investimento público, um sinal de estabilidade e garantia para todos os investidores", sublinhou.

O presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, lamentou, por seu turno, que o documento em análise tenha chegado só hoje à entidade a que preside, o que limitou o falar "sobre o mesmo de forma objetiva e clara" na reunião.

Jorge Rita adverte que um aumento de menos de 2%, como previsto, fica "muito aquém das expetativas" dos agricultores.

Já o presidente da Federação das Pescas dos Açores, Gualberto Rita, indica ter recebido a indicação de um aumento de 12,5% da dotação orçamental para o setor, valor "dentro das expetativas" dos pescadores.

"É um aumento que consideramos razoável", disse.

Já o presidente da Câmara do Comércio e Indústria dos Açores, Mário Fortuna, lamentou a lógica de continuidade que, diz, o Plano e Orçamento de 2019 terá na comparação com 2018, com os empresários a pedirem do executivo maior abertura, por exemplo, para a iniciativa privada.

A anteproposta do Plano de Investimentos para 2019 do Governo dos Açores é de 763 milhões de euros e o objetivo é "continuar a potenciar o novo ciclo que se verifica na economia regional", anunciou na quinta-feira o executivo.

Em nota enviada à imprensa, o executivo açoriano realça que dos 763 milhões de euros, 511 milhões "representam o investimento direto a efetuar pelo Governo dos Açores, contemplado num conjunto de ações promovidas diretamente pelos departamentos da administração regional", ao passo que as restantes verbas serão executadas por diversas entidades públicas.

"Os valores inscritos representam um aumento de 5,5 milhões de euros no total do investimento público e um crescimento de 2,4 milhões de euros no investimento direto da região para 2019", indica ainda o executivo socialista.

A reunião de hoje do Conselho Regional de Concertação Estratégica foi a última deste órgão de consulta e concertação nos domínios das políticas económica, social e ambiental, visto que o conselho será substituído pelo Conselho Económico e Social da Região Autónoma dos Açores, na sequência de uma proposta do Governo Regional.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.