Papa pede perdão aos ciganos na Roménia pelas discriminações da igreja

Papa pede perdão aos ciganos na Roménia pelas discriminações da igreja

 

AO Online/ Lusa   Internacional   2 de Jun de 2019, 20:39

O Papa Francisco pediu este domingo “perdão” aos ciganos, em nome da Igreja católica, pelas “discriminações, segregações, maus tratos” sofridos por esta comunidade, num encontro na Roménia com representantes da etnia.

“Peço perdão – em nome da Igreja, ao Senhor e a vós – pelas vezes em que, ao longo da história, vos discriminámos, maltratámos ou olhámos de viés”, declarou o Papa num discurso dirigido à comunidade cigana da cidade de Blaj, no centro da Roménia.

Na sua última etapa da viagem de três dias à Roménia, Francisco encontrou-se com representantes da minoria cigana, que conta com um milhão a dois milhões de pessoas neste país de 20 milhões de habitantes e constitui uma comunidade pobre e frequentemente marginalizada.

Francisco disse carregar “um peso no coração”, o das discriminações sofridas pela etnia, confessando que “também os cristãos e os católicos não são alheios a tanto mal”.

“É na indiferença que se alimentam os preconceitos e se ativam os rancores”, lamentou, criticando “as palavras que ferem” e “as atitudes que semeiam o ódio”.

Na Europa, o número de ciganos é calculado entre 10 milhões e 12 milhões de pessoas, o que representa 1,2% da população da União Europeia.

O Papa iniciou na sexta-feira uma visita de três dias à Roménia, país maioritariamente ortodoxo, que foi visitado pela primeira vez por um líder da Igreja católica, João Paulo II, há 20 anos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.